Luciano Périco: por que o Inter de Eduardo Coudet sofreu a segunda derrota seguida no Brasileirão - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Poupando e perdendo21/09/2020 | 08h00Atualizada em 21/09/2020 | 08h00

Luciano Périco: por que o Inter de Eduardo Coudet sofreu a segunda derrota seguida no Brasileirão

Com o tropeço diante do Fortaleza, Colorado perde a liderança da tabela da competição

Luciano Périco: por que o Inter de Eduardo Coudet sofreu a segunda derrota seguida no Brasileirão Ricardo Duarte/Inter/Divulgação
D'Alessandro completou 499 jogos vestindo a camisa do Inter Foto: Ricardo Duarte / Inter/Divulgação

Começo discordando do técnico Eduardo Coudet. Ele afirmou que foi injusta a derrota por 1 a 0 para o Fortaleza, no Castelão. Quem viu o jogo atentamente, pode afirmar, com toda a certeza, que o treinador não tem razão. Faltou ao time a tão badalada intensidade pregada pelo treinador. Não se discute a decisão do técnico argentino na opção de poupar atletas. Individualmente, algumas peças tiveram atuações abaixo do padrão. Edenilson pode ser apontado como um exemplo. 

O principal problema do Inter foi não ter contado com Thiago Galhardo. A ausência do rei das assistências e goleador do Brasileirão diminui o poderio do ataque colorado. Uma dependência preocupante. Ele deve estar de volta no Gre-Nal de quarta-feira (23). Coudet errou ao colocar Johnny mais adiantado. O guri não conseguiu se encontrar na função. Acabou substituído no intervalo. O jogo deixou também a preocupação pela saída de Patrick por lesão, ainda na primeira etapa. Passa a ser um dos mistérios para o clássico da América.

Leia mais
Inter deve ter seis mudanças na equipe em relação ao último Gre-Nal
Com dores na coxa direita, Patrick será submetido a exames neste domingo
Inter sofreu "olé" do Fortaleza no final e parece ter cansado da liderança

A surpresa foi o treinador argentino colocar o jovem Léo Ferreira no ataque. Ele sentiu a dificuldade no embate contra os experientes defensores do Fortaleza. Claro que tem que ser dado o desconto, porque foi a primeira oportunidade no time principal. As melhores chances de gol foram do argentino Leandro Fernández. Nonato não teve uma tarde feliz no Castelão. Através de um erro seu, saiu o gol do time de Rogério Ceni. D’Alessandro, Abel Hernández, Boschilia e Lindoso, quando entraram, não mudaram o cenário da partida.

Com a vitória do Atlético-MG em Goiânia, a derrota custou a liderança do Brasileirão. Sinal de alerta ligado! Nos últimos 15 pontos disputados, o Colorado ganhou só 5. Aproveitamento insuficiente para quem quer brigar pelo título. E se colocarmos na conta o desempenho contra o América de Cáli-COL na Libertadores, quando a equipe foi envolvida e deixou empatar no segundo tempo - venceu porque Boschilia fez o gol salvador da vitória só nos acréscimos - Coudet tem todos os motivos para ficar atendo ao que o campo está mostrando. Outro diagnóstico. Pode ser coincidência. Mas as duas últimas derrotas no Brasileirão, Goiás e Fortaleza, ocorreram antes de partidas da Libertadores. Será que não ocorreu no Inter uma redução de ímpeto inconsciente, pensando na competição de tiro curto e com mata-mata, pelo caráter mais decisivo dos jogos? Agora o foco é o Gre-Nal. O Colorado ai precisar dar uma resposta enérgica no duelo de quarta-feira (23).
 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros