Luciano Périco: será que as divergências políticas interessam de fato ao torcedor do Inter? - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Foco no campo26/09/2020 | 07h00Atualizada em 26/09/2020 | 07h00

Luciano Périco: será que as divergências políticas interessam de fato ao torcedor do Inter?

Mudança do comando do departamento de futebol é um aspecto secundário no momento do clube

Luciano Périco: será que as divergências políticas interessam de fato ao torcedor do Inter? Ricardo Duarte/Internacional/Divulgação
Presidente Marcelo Medeiros anunciou a demissão do vice de futebol Alessandro Barcellos Foto: Ricardo Duarte / Internacional/Divulgação

Somente uma vitória sobre o São Paulo vai acalmar o ambiente no Beira-Rio. Não falo sobre a questão da turbulência política, com a demissão do vice de futebol, Alessandro Barcellos, e dos outros dirigentes da administração Marcelo Medeiros. Na grande verdade, a galera não quer saber das estratégias dos movimentos políticos, que na realidade somente brigam pelo poder. 

O que interessa de fato para os verdadeiros donos do clube, os torcedores, é o que acontece dentro das quatro linhas. O que rola nos bastidores dos gabinetes, quem é da situação ou da oposição, acaba sendo pouco importante. Com as trocas, não haverá mais um dirigente de indicação política no vestiário. Plenos poderes para diretor-executivo Rodrigo Caetano.

Vamos para o campo. O sinal de alerta está ligado após as duas derrotas seguidas no Brasileirão, para Goiás e Fortaleza. O grande desafio de Eduardo Coudet é remobilizar o elenco e dar uma resposta enérgica dentro de campo. O técnico tem que parar de falar publicamente, que o grupo de jogadores têm poucas opções. 

Leia mais
Medeiros explica demissão de Alessandro Barcellos: "Para proteger o coração e a alma do clube, que é o futebol"
Medeiros nega negociação de Edenilson com futebol árabe: "Hoje ele não sai, não tem nada"
Presidente do Inter garante Eduardo Coudet mesmo em caso de derrotas: "É uma convicção do clube"

Quando aceitou o desafio de treinar o clube, ele deve ter sido avisado da realidade financeira que impede grandes investimentos para contratações. É função básica do comandante tirar mais dos atletas à disposição. Coudet precisa parar de insistir com opções que não funcionam. A semana será de jogos pesados. Contra São Paulo, de Fernando Diniz, o Colorado não terá facilidades, mesmo jogando em casa. Depois viagem para a Colômbia para pegar o América de Cáli-COL e mais um Gre-Nal. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros