Lelê Bortholacci: a aldeia não é fácil, Chacho - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Colorada05/11/2020 | 09h00Atualizada em 05/11/2020 | 09h00

Lelê Bortholacci: a aldeia não é fácil, Chacho

O tempo vai passando e, cada vez mais, eu vou entendendo menos

Lelê Bortholacci: a aldeia não é fácil, Chacho EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Elogiado pela imprensa do centro do país, respeitado pela imprensa argentina, mas questionado aqui na aldeia Foto: EDU ANDRADE / FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Classificado na Copa do Brasil com absoluta tranquilidade, sem correr nenhum risco nos 90 minutos. Líder do Brasileirão e prestes a enfrentar o Boca Juniors pelas oitavas de final da Libertadores. Este é o Inter de Eduardo Coudet.

Elogiado pela imprensa do centro do país, respeitado pela imprensa argentina, mas questionado aqui na aldeia. Tudo isso mesmo com um grupo longe de ser dos mais qualificados do nosso futebol, e perdendo peças-chave ao longo de sua trajetória. O tempo vai passando e, cada vez mais, eu vou entendendo menos.

Fiquei 14 dias afastado do trabalho por ter contraído coronavírus. Mesmo com todos os cuidados que tomei, fui atingido. Sou mais um exemplo prático de que a irresponsabilidade de alguns pode afetar a vida de terceiros.

Leia mais
Direção do Inter considera natural a divergência entre Coudet e Caetano: "Não existe crise"
Celta de Vigo tentou contratação de Eduardo Coudet, diz jornal espanhol
À espera de Atlético-MG e São Paulo: do que o Inter precisa para ser campeão do turno do Brasileirão

O que falta de empatia em boa parte da nossa população sobra nos profissionais da saúde. Meu agradecimento publico a estes que são os verdadeiros heróis dessa difícil luta contra o ainda misterioso vírus.

Obrigado

Meu agradecimento, também, ao Luís Felipe, que assumiu o espaço aqui na minha ausência em cima da hora, sem pré-avisos, e mandou bem demais com seu ótimo texto — bem melhor do que o meu, diga-se de passagem —, mantendo sempre viva a nossa paixão colorada. Obrigado, colorado! 

u, diga-se de passagem —, mantendo sempre viva a nossa paixão colorada. Obrigado, colorado! 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros