Lelê Bortholacci: dificilmente o Inter perderia se não houvesse a interferência da arbitragem - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

A banca paga e recebe23/02/2021 | 09h00Atualizada em 23/02/2021 | 11h39

Lelê Bortholacci: dificilmente o Inter perderia se não houvesse a interferência da arbitragem

Expulsão de Rodinei foi contestada por maioria dos especialistas

Lelê Bortholacci: dificilmente o Inter perderia se não houvesse a interferência da arbitragem Jefferson Botega / Agencia RBS/Agencia RBS
Inter, de Patrick, podia ter sido campeão antecipado se tivesse vencido o Flamengo Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS / Agencia RBS
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Meu sentimento segue dividido entre saber que perdemos muitos pontos bobos neste Brasileirão - e isso faz, sim, um titulo escapar - e, ao mesmo tempo, ter a certeza absoluta de que dificilmente perderíamos o jogo de domingo (21) se não houvesse a interferência indiscutível da arbitragem.

Digo "indiscutível" porque o lance da expulsão de Rodinei é quase unanimidade entre cronistas esportivos e torcedores de todo o Brasil - à exceção, claro, de alguns flamenguistas e gremistas. Faz parte do jogo. Assim como erros e acertos da arbitragem, que acontecem na grande maioria dos jogos pelo Brasil.

Você já leu aqui várias vezes eu dizer que "a banca paga e recebe". Continuo com esta ideia, porque é a nossa realidade. Se houve a "dúvida" no gol de Dourado contra o Vasco -e, até hoje, nenhuma imagem comprovou impedimento -, não houve dúvida nenhuma no pênalti inventado contra nós  mo mesmo jogo. Se reclamam do suposto pênalti em Ferreirinha no Gre-Nal, não lembram que, no primeiro turno, o gol do Grêmio surge de uma falta escandalosa em Galhardo, que nem o árbitro, nem os auxiliares, nem o VAR viram.

Leia mais
Após ouvir áudio do VAR, presidente do Inter relata mudança de ideia do árbitro na expulsão de Rodinei
 Retrospecto de Rogério Ceni contra o São Paulo vira alento para o Inter
Torcedor colorado volta atrás sobre injetar dinheiro no São Paulo: "Me manifestei sem pensar"

Se questionam o pênalti marcado contra o Bragantino, não lembram de um não marcado a nosso favor no jogo contra o Bahia, quando Peglow chutou e a bola desviou na mão do zagueiro baiano.

São erros e acertos pra todos os lados. O de domingo (21) foi diferente pelo simples fato de que o mesmo árbitro, neste mesmo campeonato, em outras quatro oportunidades, puniu com cartão amarelo jogadas semelhantes. É isso que deixa o mistério no ar. Mas vamos em frente. Ainda não acabou.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros