Luciano Périco: de olho no Morumbi, uma noite para o Inter fazer história no Beira-Rio  - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Sonho vermelho25/02/2021 | 09h00Atualizada em 25/02/2021 | 09h00

Luciano Périco: de olho no Morumbi, uma noite para o Inter fazer história no Beira-Rio 

Colorado pode voltar a vencer o Brasileirão depois de 41 anos

Luciano Périco: de olho no Morumbi, uma noite para o Inter fazer história no Beira-Rio  Ricardo Duarte / Inter/Divulgação/Inter/Divulgação
Abel Braga tem a grande oportunidade de conquistar mais um grande título pelo clube Foto: Ricardo Duarte / Inter/Divulgação / Inter/Divulgação

O dia 25 de fevereiro de 2021 pode ficar marcado para sempre na vida do Inter. Os colorados nascidos a partir da segunda metade dos anos 1970 vivem a expectativa de ver a conquistar o Brasileirão. A última vez, em 1979, foi histórica, de forma invicta com um grande time com estrelas do quilate de Falcão, Mauro Galvão, Jair, Mário Sérgio e Valdomiro.

Nas décadas seguintes, a América já foi pintada de vermelho duas vezes. O mundo ainda viu o Colorado brilhar em Yokohama, passando por cima do poderoso Barcelona. Claro que ocorreram também tropeços importantes. Mas a vida no futebol é assim. Grandes conquistas e derrotas doídas. E por tudo isso, é apaixonante.

Apesar das turbulências durante a caminhada, com a saída abrupta de Eduardo Coudet e uma eleição presidencial no meio da temporada, o Inter chega à última rodada do Brasileirão com chances reais de título. Por tudo isso, é possível apontar Abel Braga como o personagem principal. Todos as reverências devem ser dadas ao histórico treinador do clube. Uma relação coroada de êxitos iniciada lá em 1988.

Leia mais
Presidente do Inter pede que torcedores evitem aglomerações: "Temos uma batalha dentro e fora de campo"
Com duas trocas no time, Inter encerra preparação para última rodada do Brasileirão
Autoridades reforçam fiscalização para jogo do Inter e fazem apelo aos torcedores

Olhando para trás, poucos apostavam que o Colorado chegaria tão longe. Nem o torcedor mais otimista. Talvez no máximo vaga direta na Libertadores. Lomba, Edenilson, Patrick e Galhardo podem ser apontados como os principais avalistas da campanha. Moledo e Cuesta foram recuperados por Abelão. E volta do capitão Dourado também foi o fiador da arrancada. Assim como a juventude de Praxedes, Caio Vidal e Yuri Alberto fizeram a diferença.

Antes do início da competição, o Flamengo era apontado como principal favorito para conquistar o título. Pelo o que investe e contando com um elenco extremamente qualificado, o rubro-negro tem obrigação de levar a taça. Mas só badalação não resolve. 

O Atlético-MG, que abriu os cofres e apostou em Jorge Sampaoli, ficou pelo caminho. O grande problema da rodada decisiva é que o Inter não depende apenas dele. Será preciso ter a ajuda do inconfiável São Paulo. É possível? Claro que sim! 

Só que os comandados de Abel Braga precisam estar cientes de que devem fazer a sua parte. Derrotar o Corinthians é requisito básico. Não há negociação. Sem vencer o Timão, não adiantará nada os são-paulinos ajudarem. Beira-Rio e Morumbi estarão conectados em uma noite eletrizante

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros