Lelê Bortholacci: o Inter mergulha de cabeça na modernidade do futebol - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Colorada06/03/2021 | 07h00Atualizada em 06/03/2021 | 07h00

Lelê Bortholacci: o Inter mergulha de cabeça na modernidade do futebol

Técnico Miguel Ángel Ramírez foi apresentado nesta sexta-feira

Lelê Bortholacci: o Inter mergulha de cabeça na modernidade do futebol Ricardo Duarte / Internacional/Divulgação/Internacional/Divulgação
Miguel Ángel Ramírez assinou contrato de dois anos Foto: Ricardo Duarte / Internacional/Divulgação / Internacional/Divulgação
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Por mais que tenhamos batido na trave dos grandes títulos nas duas últimas temporadas, tenho plena convicção de que estamos no caminho certo. Sei também que muitos colorados não aguentam mais ouvir falar em reconstrução, mas não há como negar que ela ainda está em curso. 

O buraco que nos enfiamos com a gestão 2015/16 demoliu boa parte do clube, dentro e fora do campo de jogo. Incomoda não ter ganho nem um Gauchão desde lá? Claro que sim. Mas estar disputando os principais títulos do país é um sinal de que algo está acontecendo.

A chegada de Miguel Ángel Ramírez empolga muitas pessoas que eu conheço e que estudam futebol a fundo. Assim como a de Gustavo Grossi, que deixa de ser o braço direito de Marcelo Gallardo no multicampeão River Plate para fazer parte do projeto de futebol do Inter, proposto por Alessandro Barcelos e sua equipe. Não posso deixar de citar aqui, também, o executivo de futebol Paulo Bracks, que em pouco tempo já mostrou excelentes credenciais.

Leia mais
"Espero que possamos construir uma história bonita juntos", diz Miguel Ángel Ramírez em sua apresentação no Inter
Miguel Ángel Ramírez sobre ser estrangeiro no futebol brasileiro: "A maioria recebe bem"

O Inter de 2021 aposta numa gestão moderna de futebol. Análise de dados, atenção com o mercado, conexão direta entre base e profissional. A nova diretoria eleita está entregando exatamente o que prometeu na campanha. Na realidade, diria que estão entregando até mais. E, mesmo que sejam movimentos extracampo, eles são essenciais para seguirmos este caminho de volta às grandes conquistas. A bola não entra por acaso. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros