Luciano Périco: a difícil vida financeira do Inter - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Prejuízo07/04/2021 | 07h01Atualizada em 07/04/2021 | 07h01

Luciano Périco: a difícil vida financeira do Inter

Colorado terá que apertar o cinto para colocar as contas em dia

Luciano Périco: a difícil vida financeira do Inter Ricardo Duarte/Internacional/Divulgação
Ex-presidente Marcelo Medeiros (E) cumprimentando Alessandro Barcellos no dia da posse Foto: Ricardo Duarte / Internacional/Divulgação

Informação trazida por GZH dá conta de que a direção do Inter vai apresentar ao Conselho Deliberativo, nos próximos dias, o balanço financeiro referente a 2020 com um déficit recorde ultrapassando a casa de R$ 90 milhões. Claro que a situação foi agravada em decorrência da pandemia. Mas as tentativas para amenizar o problema na gestão anterior acabaram sendo ineficazes.

É preciso estancar a sangria para não inviabilizar o clube no futuro próximo. Foi o que deixou claro o presidente Alessandro Barcellos no Show dos Esportes desta terça-feira (06). Conseguir pagar as  contas básicas da rotina da entidade. Para isso, o Colorado terá que arrecadar, pelo menos, o mesmo valor com a venda de atletas e nas premiações vindas pelas competições disputadas no momento. Pensando dentro de campo, o grande problema é que o Inter terá que vender atletas do grupo atual para buscar receitas.

Leia mais
Mauricio ou Caio Vidal: quem vem aproveitando melhor as chances de Ramírez no Inter?
Inter minimiza declaração de Dourado e questão psicológica após derrota no Gre-Nal
Saravia comemora fase final e relembra dificuldades durante recuperação de cirurgia

O meia Praxedes e o lateral-direito da base Vinícius Tobias estariam no radar europeu. Yuri Alberto tem potencial para chamar atenção do mercado externo. Não há outra solução. O investimento no futebol também está sendo reduzido. Palacios é o único reforço que chegou até agora. Taison está por vir. Outra medida para tentar fechar a conta, será aliviar a folha de pagamento com a saída de vários atletas. Serão poucas e pontuais contratações para reforçar o time. Por isso, o discurso dos dirigentes falam tanto em apostar na base. A grande preocupação é se o Inter terá como conseguir fazer uma equipe competitiva nas grandes competições da temporada tendo sérias restrições de recursos. O trabalho de Miguel Ángel Ramírez terá que driblar essa grave dificuldade.
 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros