Lelê Bortholacci: em busca de uma vitória difícil, mas não impossível - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Colorada22/05/2021 | 09h00Atualizada em 22/05/2021 | 09h00

Lelê Bortholacci: em busca de uma vitória difícil, mas não impossível

Inter precisa superar o favoritismo do coirmão

Lelê Bortholacci: em busca de uma vitória difícil, mas não impossível Staff Images/Conmebol / Divulgação/Divulgação
Triunfo no Paraguai permite que Edenilson se dedique de corpo e alma à final deste domingo Foto: Staff Images/Conmebol / Divulgação / Divulgação
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Com a vitória sobre o Olimpia, o primeiro problema da semana foi resolvido. Agora chegou a hora do segundo e mais complicado. Reverter a vantagem conquistada pelo Grêmio no primeiro jogo vai exigir muito mais do Inter neste domingo (23). É difícil. Mas não impossível.

Todos os números apontam para um favoritismo claro do coirmão. Tem histórico amplamente superior nos clássicos recentes, tem a melhor campanha do campeonato e decide em casa. Além de ter vencido o primeiro jogo e ser o atual campeão gaúcho. Ou seja, o jogo começa com a taça nas mãos deles.

Leia mais
Yuri no ataque e Lucas Ribeiro na zaga: as mudanças que o Inter pode ter no Gre-Nal
Inter lança uniforme branco em homenagem aos 15 anos da conquista do Mundial de 2006
Gre-Nal 432: horário, como assistir e tudo sobre o segundo jogo da final do Gauchão

A única maneira de revertermos isso é indo para cima. Mas não há porque se desesperar. A necessidade de vencer por dois gols existe, mas, por mais lógico que possa parecer, precisamos fazer um de cada vez. Abrindo o placar — e, consequentemente, igualando o confronto —, a pressão psicológica passa para o outro lado. A concentração terá de ser total.

Nova chance para levantar uma taça

Mais uma vez, este grupo de jogadores — ou, pelo menos, boa parte dele — tem a chance de ganhar um título. O Gauchão pode não ter a expressão de uma Copa do Brasil ou do Brasileirão que estiveram tão perto. Mas a tarde de domingo reserva a eles a possibilidade de levantar uma taça dentro da casa do rival, algo que fizemos pela ultima vez há dez anos, e encerrar a seca de uma forma que certamente vai trazer muitos benefícios aos envolvidos.

Honrem a camisa. Lutem até o fim. Façam história.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros