Lelê Bortholacci: não faltou vontade, mas faltou futebol - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão Colorada16/06/2021 | 21h54Atualizada em 16/06/2021 | 21h54

Lelê Bortholacci: não faltou vontade, mas faltou futebol

Se a direção não agregar qualidade a este grupo, não disputaremos nada além do meio da tabela neste Brasileirão

Lelê Bortholacci: não faltou vontade, mas faltou futebol Lauro Alves / Agencia RBS/Agencia RBS
Edenilson perdeu grande oportunidade no primeiro tempo Foto: Lauro Alves / Agencia RBS / Agencia RBS
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Enfrentar um dos candidatos ao título já é complicado por si só. Começar o jogo perdendo deixa tudo ainda mais difícil. Eu, sinceramente, tenho muita dificuldade em assimilar que tipo de “concentração” tem um time que entra em campo e sofrer um gol no primeiro minuto de jogo. Ok, a jogada foi bem construída pelo ataque do Galo, mas, mesmo assim, não justifica. Todo mundo sabe que o time comandado por Cuca começa seus jogos em alta rotação. Não existe “ser surpreendido”, neste caso.

Correndo atrás, praticamente, desde o apito inicial, ficou claro que haviam espaços muito grandes entre os setores do time do Inter. A organização só foi aparecer depois dos 30 minutos e, com ela, as chances de gol. Mas aí esbarramos em um problema recorrente nesta temporada: a pontaria. Sem ela, os jogadores erram gols fáceis. Edenilson, de frente para o gol, e Mauricio, na pequena área chutando por cima, sem goleiro, são dois exemplos.

Outro problema escancarado é a quantidade de decisões equivocadas que os jogadores tomam. Lances em que tentam o mais difícil. Por quê? Galhardo recebeu uma bola de graça, de frente para o gol, só ele e o goleiro. E não fez. E, com tantos erros assim, o jogo só poderia terminar como começou.

Leia mais
Inter perde para o Atlético-MG e desperdiça chance de subir na tabela do Brasileirão
Cotação GZH: confira as notas dos jogadores do Inter na derrota para o Atlético-MG
Inter deve agendar reunião virtual com candidatos a técnico nesta quinta-feira


Precisamos de reforços

Não faltou vontade, não faltou entrega. Faltou futebol mesmo. E o Galo estava com nada menos do que sete desfalques. Ou seja, se a direção não agregar qualidade a este grupo, não disputaremos nada além do meio da tabela neste Brasileirão. A quarta rodada termina para nós e seguimos sem vencer em casa e sem treinador. 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros