Lelê Bortholacci: um ano para o Inter esquecer - Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Paixão colorada26/11/2021 | 09h00Atualizada em 26/11/2021 | 09h00

Lelê Bortholacci: um ano para o Inter esquecer

Qualquer análise decente sobre o retrospecto recente conclui que o time está em franca decadência

Lelê Bortholacci: um ano para o Inter esquecer Ricardo Duarte / Inter/Divulgação/Inter/Divulgação
Inter vem de derrota para o Fluminense no Brasileirão Foto: Ricardo Duarte / Inter/Divulgação / Inter/Divulgação
Lelê Bortholacci
Lelê Bortholacci

lele@atlantida.com.br

Qualquer análise decente sobre o retrospecto recente do Inter conclui que o time está em franca decadência neste final de temporada. São duas vitórias nos últimos 10 jogos. Para você ter uma ideia de quão ruim é isso, saiba que nosso coirmão – lutando apenas para não ser rebaixado – venceu quatro nos mesmos últimos 10 jogos. 

Ou seja, nosso aproveitamento neste período é pior do que o de um time que está na zona do rebaixamento desde a segunda rodada. É muito pouco.

Leia mais
Saiba quantos pontos o Inter precisa para se classificar à Libertadores
Suspensões, lesionados e dúvida sobre Cadorini: os problemas do Inter para encarar o Santos

E não nos autoriza mais a, sequer, pensar numa vaga direta na Libertadores 2022, algo que até seria um "prêmio de consolação" para uma temporada com muito mais baixos do que altos, e que teve as vexatórias eliminações para Olimpia e Vitória — que está prestes a cair para a Série C do Brasileirão.

Nossa realidade é, na melhor das hipóteses, uma vaga na "pré" e olhe lá. E, para isso se consolidar, precisaremos vencer fora de casa o Bragantino, algo pouquíssimo provável de ocorrer. O ano de 2021 não vai deixar saudades.

Leia mais
Inter passará a cobrar ingressos de crianças de 5 a 11 anos que não sejam sócias

Gol contra do clube

Mesmo com os pífios resultados, sigo otimista com o projeto de clube da atual diretoria. Mas não consigo entender como tiveram esta “brilhante” ideia de começar a cobrar ingressos de crianças menores de 12 anos. É justamente nessa fase da vida que nos apaixonamos por um clube de futebol e a ida ao estádio é o que verdadeiramente faz explodir este amor. As políticas do clube deveriam ser inclusivas. Espero que isso seja revisto. O clube está fazendo um gol contra. Mas o “VAR” chamou pra anular.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros