Pedro Ernesto: D'Ale e Nilmar fazem muita diferença - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Opinião26/06/2015 | 07h08

Pedro Ernesto: D'Ale e Nilmar fazem muita diferença

Pedro Ernesto: D'Ale e Nilmar fazem muita diferença Fernando Gomes/Agencia RBS
Centroavante foi à Europa renovar passaporte espanhol e volta ao time no domingo, contra o Santos Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS
Pedro Ernesto Denardin

pedro.ernesto@diariogaucho.com.br

D'Alessandro e Nilmar são os dois jogadores mais importantes deste Inter. Com eles, espera-se que o Inter mude para melhor. Espera-se também que Anderson volte a jogar o bom futebol que já ensaiava e empolgava a torcida, mas não se repetiu contra o Figueirense. Já que não consegue ganhar fora, vira fundamental ganhar em casa. Esses jogadores podem ser fundamentais nesse processo. Domingo, é obrigatório ganhar. A gordurinha já se foi faz horas.

Time escalado
Roger Machado deixou de lado os mistérios que quase nunca servem pra nada e escalou seu time. Ele mantém o que existia e coloca Lucas Ramón e Marcelo Hermes nas laterais. Não existem outras possibilidades porque o lateral-esquerdo Júnior parece não agradar nenhum treinador e não há outro lateral-direito para concorrer com o recém-chegado Ramón. Essa simplicidade dá a Roger grandes resultados.
Claro que ainda falta o desafio de ganhar fora, o que pode acontecer amanhã, contra o Avaí, na Ressacada. Roger conquista os jogadores que não se esquecem de referir o novo momento. Simplifica no seu trabalho, valoriza seus comandados e encanta os torcedores com suas vitórias. Ainda falta muito, mas o trajeto percorrido até aqui tem sido muito bom.

Leia todas as colunas de Pedro Ernesto Denardin

Copa América
O melhor que se viu até agora na competição sul americana foi o Chile. Muitos jogadores de qualidade pelo meio e um futebol que lembra o tic-tac do Barcelona. Contra o Uruguai, teve 80% de posse de bola. Mas disso pouco resultou ofensivamente. Falta contundência, tanto que o único gol marcado foi por um lateral. Mas, mesmo assim, o Chile apresenta um time muito bem treinado, estruturado e com grandes chances de chegar ao título, muito pela letargia dos adversários.

É demaaaiiis
Valdivia tem sido o grande criador do time do Chile na Copa América. Nem de perto lembra o jogador complicado e sonolento do Palmeiras. Isso quando se apresenta para jogar. Se fosse esse jogador que atua pelo Chile, seria um reforço muito grande. Mas parece que só gosta de jogar pela seleção.

É de menos
Sandro Meira Ricci foi um grande árbitro na Copa do Mundo. Depois dela, talvez por autossuficiência, se tornou um mau árbitro e em todos os seus jogos arruma complicação. Acaba de ser afastado da Copa América, outra vez por insuficiência técnica. Tem árbitro muito melhor nos dias de hoje no futebol brasileiro.

 

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros