Guerrinha: "O assédio a Luan" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

Coluna do Guerra02/01/2017 | 08h38Atualizada em 02/01/2017 | 08h38

Guerrinha: "O assédio a Luan"

Guerrinha: "O assédio a Luan" Lucas Uebel / Grêmio, Divulgação/Grêmio, Divulgação
Foto: Lucas Uebel / Grêmio, Divulgação / Grêmio, Divulgação

Só com muita grana.

Verdade que a decisão depende sempre muito mais do jogador do que do clube, mas até agora o Grêmio não fraquejou ao assédio dos interessados pelo qualificado Luan, cada vez mais valorizado pelo belo ano que fez.

Pela necessidade de aumentar a conta corrente, pelo poder financeiro de quem está do outro lado do oceano, deixa a impressão que tudo é uma questão de tempo, mas só acontecerá mesmo se pintar um dinheiro bem maior do que todos querem desembolsar.

Remontagem – Sem resultados, sem grana, mas sempre pressionado pelo torcedor, o Corinthians anuncia que vai mudar, de novo, a foto do time. Claro que pode dar certo, mas a tendência é de mais um ano sofrido.

Arma – Além de correr atrás de reforços para a parte defensiva, a direção do Inter está proibida de esquecer uma arma que faz a diferença no futebol atual: o homem da bola parada. Para quem vai estar metido em competições complicadas, sempre com a obrigação dos resultados, este é um requisito indispensável. 

Melhor – Justo e merecido.Forte, movediço, goleador, o atacante Miguel Borja, do Atlético de Medellín, levou o título de melhor da América em 2017. Por tudo o que fez, é fácil adivinhar que o colombiano vai vender seu peixe na Europa e passar a ganhar em outra moeda.

Perguntinha: O ano vai começar para a Dupla?

Leia outras colunas do Guerrinha

*Diário Gaúcho


 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros