Luciano Périco: "Tricolor no divã" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

Gigante da Galera19/09/2017 | 07h00Atualizada em 19/09/2017 | 07h00

Luciano Périco: "Tricolor no divã"

A possibilidade de não poder com Luan deve estar tirando o sono do técnico Renato

Luciano Périco: "Tricolor no divã" Jefferson Botega/Agencia RBS
Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS

O desempenho recente do Grêmio tem deixado o torcedor com a pulga atrás da orelha. Nos últimos seis jogos, só conseguiu marcar gols no confronto contra o Sport na Arena. Na véspera da decisão de uma vaga na semifinal da Libertadores contra o Botafogo, o Tricolor vive um momento de incertezas. A saída de Pedro Rocha fez mais efeitos negativos do que se imaginava. Criou um vazio do lado esquerdo gremista. Além disso, a possibilidade da ausência de Luan contra o Botafogo deixa a dúvida se a equipe terá capacidade de criação. 

A impossibilidade de não poder contar com o principal jogador do time deve estar tirando o sono do técnico Renato Portaluppi. As opções do grupo utilizadas não tem dado boa resposta. Mais ou menos como o mesmo efeito criado quando falta uma engranagem e a máquina deixa de funcionar. Sem ser abastecido pelo meio-campo, o ataque também acaba não tendo bom desempenho. 

POSSIBILIDADES _ Grêmio, Botafogo e Santos chegam em grau de igualdade, com pequenas variáveis, para decidirem as vagas às semifinais da Libertadores. No duelo entre brasileiros, o Fogão tem a pequena vantagem de empatar com gols. Ao Tricolor só resta a vitória. Novo 0 a 0 leva a pênaltis. Já o Peixe joga pelo 0 a 0, porque fez gol em Guayaquil no 1 a 1. Empate a partir de 2 a 2 serve ao Barcelona-EQU. quem vencer, se classifica.  

PAPO FURADO _ Há um triste culto à malandragem no futebol brasileiro. O que importa sempre é levar vantagem. Seja catimbando o jogo ou simulando lances para enganar a arbitragem. O atacante Jô, que aplaudiu o gesto do são-paulino Rodrigo Caio, que se acusou de ter atingido seu companheiro e teve abonado um cartão para o corintiano na semifinal do Paulistão, não admitiu que fez o gol contra o Vasco com o braço. Fica claro essa história de fair play é conversa fiada! 



 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros