Marcador e versátil, Jéferson deve ser a novidade do Inter para enfrentar o Boa  - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

Em Varginha17/10/2017 | 16h55Atualizada em 17/10/2017 | 16h55

Marcador e versátil, Jéferson deve ser a novidade do Inter para enfrentar o Boa 

Volante de 20 anos pode fazer sua estreia no time principal em partida da 30ª rodada da Série B

Marcador e versátil, Jéferson deve ser a novidade do Inter para enfrentar o Boa  Ricardo Duarte/Ricardo Duarte
Foto: Ricardo Duarte / Ricardo Duarte

Por mais que Guto Ferreira tente esconder, a tendência é de que Jéferson seja, mesmo, o substituto de Edenilson no jogo desta noite do Inter contra o Boa, pela 30ª rodada da Série B. O jovem volante deve ser confirmado para a partida das 19h15min para auxiliar Charles no combate no meio-campo e se juntar a D'Alessandro e Camilo na criação dos lances ofensivos.

O técnico colorado fez mistério na entrevista de ontem, não quis revelar se usará o menino ou se optará por Valdemir (outra peça da categoria de base). O que deixou claro, porém, é que não vê em Felipe Gutiérrez o reserva natural do suspenso camisa 8. 

— Se a equipe que a gente vai enfrentar tivesse pouco poder ofensivo, Gutiérrez poderia ser o escolhido. Na minha concepção, no entanto, ele é mais um terceiro homem de meio-campo do que segundo. É um jogador que tem muito mais poder de articulação do que marcação. Com um dos garotos nós podemos ganhar mais equilíbrio na equipe.

Apesar do segredo sobre qual guri vai para o jogo, suas declarações na entrevista coletiva deram indicativos de que o nome a aparecer entre os titulares na súmula é mesmo o de Jéferson.

— É a busca de característica mais próxima do Edenilson, de mobilidade, de marcação, de ocupação de espaço. A experiência fica difícil de substituir. Mas a disposição, a vontade e a característica física são mais próximas. Temos que equilibrar o lado defensivo — declarou o treinador.

E se a proximidade com as características for mesmo o fator determinante para a escalação, Guto Ferreira está no caminho certo, segundo alguns dos "descobridores" de Jéferson, 20 anos, gaúcho de Novo Hamburgo. Júnior Chávare, diretor de operações e novos negócios da K-2 — empresa que administra o Tubarão-SC, foi quem levou o menino do Rio Claro para o São Paulo. O ex-coordenador da base do Grêmio garante que o volante do Inter tem força de marcação e ocupação de espaço, além de jogar com intensidade.

— A vaga do Edenilson é a ideal para ele, a que aproveita melhor suas características. Imagino que a torcida colorada vai ter uma grata surpresa com esse jogador — afirma.

Diego Cabrera, coordenador da base colorada, lembra que Jéferson chegou ao fim do primeiro semestre ao Beira-Rio. Com 1m83cm, costuma se impor fisicamente e tem bom desarme. Em alguns jogos, chegou a atuar improvisado na lateral-direita. Ele participou do Gauchão e do Brasileirão na categoria sub-20, além da Terceirona e da Copa Paulo Sant'Ana com a equipe sub-23. 

— É um jogador bem versátil, tem bom nível de força e de velocidade. Domina todos os fundamentos, marca bem e chega à frente. Mas, sempre digo, é um menino. Precisa trabalhar muito — ressalva.

Com pouco tempo de trabalho no time principal, ganhou elogios de Cláudio Winck:

— É um cara de bastante pegada, marca bastante e tem passe bom. 

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros