Cacalo: "Vencer o tricampeão da América é uma façanha" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão tricolor28/12/2017 | 07h00Atualizada em 28/12/2017 | 07h00

Cacalo: "Vencer o tricampeão da América é uma façanha"

Grêmio desperta todas as atenções da mídia e dos analistas. Tricolor é o clube a ser derrotado

Cacalo: "Vencer o tricampeão da América é uma façanha" Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

O Grêmio terminou o ano com uma equipe entrosada e jogando bom futebol. Sagrou-se tricampeão da América, feito que poucos conseguiram no Brasil, mais precisamente apenas dois cubes de São Paulo. Pode-se dizer, então, que foi o melhor time da América ao final do ano e vice-campeão mundial.

No futebol, com esforço, criatividade, dedicação e muita competência, é possível alcançar excelentes resultados, e o exemplo maior é o Tricolor destes últimos dois anos, em que conquistou o penta da Copa do Brasil e o tri da Libertadores. No país, é o rei de copas, indiscutivelmente. Não estou emitindo opinião, mas relacionando fatos.

Todas essas virtudes que referi ocorreram no Grêmio neste período citado. Chegou ao topo da América, sendo o clube que mais vezes venceu uma competição nacional. Em decorrência dessas conquistas, a responsabilidade de todos aumenta. Faço essa afirmativa porque tenho convicção e consciência de que chegar ao topo é possível, e o Grêmio está aí, para comprovar. No entanto, por diversas razões, manter-se nesta posição de destaque é mais difícil. Por uma série de motivos: valorização de atletas que passam a pretender novo patamar salarial, atenção de adversários que jogam contra um grande campeão, ou seja, uma equipe a ser batida.

Além disso todas as atenções da mídia, dos analistas, daqueles que trabalham com futebol, passam a ser rotina em relação a clubes campeões. Multiplicam-se os adversários. Para manutenção desses requisitos vitoriosos e especialmente de ponta, torna-se necessário que todas aquelas virtudes antes referidas sejam redobradas, o trabalho seja muito mais competente, mesmo que às vezes, isso não seja possível, dada a excelência daquilo que foi realizado.

O ônus da grandeza

Este é o ônus do clube grande, do clube vitorioso, do clube campeão. É neste patamar, atualmente, que se encontra o Grêmio. O Tricolor é o clube a ser derrotado, e cada feito desse porte passa a ser muito comemorado. Afinal, vencer o tricampeão da América realmente é uma façanha.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros