André Baibich: o Inter perdeu, mas melhorou por conta de ajustes na saída de bola - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

Opinião25/01/2018 | 07h00Atualizada em 25/01/2018 | 07h00

André Baibich: o Inter perdeu, mas melhorou por conta de ajustes na saída de bola

Equipe fazia trocas de posição para revezar quem iniciava as jogadas e tentar confundir a marcação

André Baibich: o Inter perdeu, mas melhorou por conta de ajustes na saída de bola Ricardo Duarte/Sport Club Internacional
Foto: Ricardo Duarte / Sport Club Internacional

Apesar da derrota, foi um Inter melhor do que na estreia contra o Veranópolis, o outro jogo em que os titulares estiveram em campo. Mas ainda longe do nível ideal. Normal para um time ainda em construção, buscando assimilar as ideias do treinador.

Leia mais
Cotação GZH: veja as notas dos jogadores do Inter na derrota para o Caxias 
Damião explica confusão após derrota para o Caxias: "Médico faltou com respeito" 

Viu-se no primeiro tempo que Odair está preocupado em ajeitar a saída de bola. A equipe fazia trocas de posição para revezar quem iniciava as jogadas e tentar confundir a marcação. Mas não demorou para voltarem os movimentos previsíveis da estreia, com o recuo de D'Alessandro para "arredondar" o início dos lances e seus companheiros estáticos demais para lhe dar opções de passe.

Fato é que só esses pequenos ajustes fizeram com que o Inter construísse um pouco mais, especialmente quando ainda houve perna, no primeiro tempo. É um indício de que o time pode melhorar, mas isso só será possível se corrigir, também, seus problemas defensivos.

MAL ATRÁS — O time de transição do Grêmio voltou a sofrer com erros defensivos, que resultaram em dois dos três gols do Avenida no 3 a 2 da equipe de Santa Cruz. Primeiro foi Mendonça, que se destacou justamente pela eficiência na bola aérea contra o São Luiz, mas se equivocou no tempo de bola no gol de Luís Henrique. Depois, o experiente Paulo Miranda escorregou e a bola sobrou para Marques fazer o segundo. O terceiro foi quase um acidente, na pancada de Toto que desviou na zaga.

MATHEUS E JEAN PYERRE — Há jogadores interessantes nessa equipe, mas o jogo em Santa Cruz foi o pior da gurizada do meio para frente (apesar dos gols marcados). Faltou profundidade, chegada mais forte ao ataque após as trocas de passe. Ainda assim, o entendimento entre Jean Pyerre e Matheus Henrique, o primeiro mais posicionado para iniciar as jogadas, o segundo com movimentação incessante e técnica apurada, é algo a se comemorar em meio aos resultados ruins.



 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros