André Baibich: os últimos três meses de Madson empolgam. Mas só os últimos três meses - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Opinião12/01/2018 | 07h00Atualizada em 12/01/2018 | 13h57

André Baibich: os últimos três meses de Madson empolgam. Mas só os últimos três meses

Lateral que fechou com o Grêmio era contestado até conseguir se firmar na reta final do Brasileirão

André Baibich: os últimos três meses de Madson empolgam. Mas só os últimos três meses  Paulo Fernandes/Divulgação Vasco
Foto: Paulo Fernandes / Divulgação Vasco

O gremista que assistiu com atenção aos últimos três meses de Madson no Vasco deve estar ansioso por sua chegada ao time de Renato. A questão é saber se foi um trimestre em que esteve "de aniversário" em uma carreira que, até ali, passava longe de ser brilhante.

Leia mais
Bolzan coloca o avental e cozinha para o amigo Marcelo Medeiros 
Hotel cria suíte temática para receber torcedor gremista 
Em 15 dias, Renato receberá o seu projeto de marketing: confira as primeiras ideias

Madson cresceu com a chegada do técnico Zé Ricardo a São Januário. Passou a ser peça importante do setor mais confiável da equipe: a defesa. Antes, a trajetória no Vasco, onde está desde 2015 depois de ser revelado pelo Bahia, havia sido pontuada por contestações do torcedor.

Aos 25 anos, destaca-se pelo vigor físico e boa marcação, mas peca no acabamento das jogadas. A falta de qualidade de seus cruzamentos era uma reclamação frequente dos vascaínos. Por outro lado, a velocidade o rendeu o apelido de "Madson Bolt". Resta saber qual Madson desembarcou no Salgado Filho.

LADO ESQUERDO — O colega Leandro Behs relata que Odair Hellmann trabalhou a saída de bola do Inter pela esquerda, com Uendel e Camilo tabelando e se aproximando de D'Alessandro. Se a formação com Camilo aberto pelo lado se confirmar, aquela região do campo tende a ser onde o Inter costura as jogadas com passes curtos, até pelas características dos jogadores. No outro lado, com Pottker, a tendência é acelerar e partir em direção ao gol.

NICO — Nos treinos, Odair tem posicionado o uruguaio como um meia, atrás do centroavante Roger. É uma alternativa interessante. Nico já atuou assim em alguns de seus melhores momentos no Nacional-URU. Em um contra-ataque, por exemplo, pode se colocar às costas dos volantes adversários para receber a bola e conduzi-la em velocidade.

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros