Guerrinha: "Jogo no Paraná é só para cumprir protocolo" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Guerra Total14/03/2018 | 07h00Atualizada em 14/03/2018 | 07h00

Guerrinha: "Jogo no Paraná é só para cumprir protocolo"

Mesmo com ausências, o time de Odair reúne todas as condições de avançar na Copa do Brasil

Guerrinha: "Jogo no Paraná é só para cumprir protocolo" Leonardo Acosta / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Leonardo Acosta / Agência RBS / Agência RBS

Com uma vantagem nada pequena _ fez 2 a 0 no Beira-Rio _, o Inter enfrenta o Cianorte, logo mais, fora de casa, num jogo em que só o dono da casa acredita em reversão.

Mesmo com ausências, o time do técnico Odair Hellmann reúne todas as condições para encarar o rival, bater o martelo e seguir sonhando com a Copa do Brasil. E a partir daí, começar a focar a prioridade: a decisão de domingo.

PRESSÃO _ Aumenta a pressão.

Mesmo com a vitória no clássico, com o bom futebol do primeiro tempo, muita gente começa a pedir que Arthur seja escalado entre os titulares pelo técnico Renato Portaluppi e que Maicon permaneça no time.

Ninguém se atreve a discutir a titularidade do jogador que vai defender o Barcelona, mas é bom lembrar que, quando os dois estavam aptos, o chefe optou por apenas um, por entender que fazem a mesma função.

INCÓGNITA _ Tudo pode acontecer.

Após algum tempo, o Caxias finalmente comemorou uma vitória, fechou a primeira fase atrás apenas do Brasil-Pel e foi contemplado com o surpreendente Avenida como adversário.

Promete muito o jogo em Santa Cruz e mais ainda o da próxima semana, na Serra.

ENCRENCA _ Vai sair faísca.

Esse confronto de Veranópolis e São José é um desafio para os catedráticos. Pela campanha, o time da Serra parece com mais chance, mas o irregular Zequinha é desses que se aproveita do fator local e pode mudar o quadro.

Perguntinha

Quem vai apitar o próximo Gre-Nal?


 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros