Neto Fagundes: "E para quem irão torcer essas crianças? - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão colorada03/04/2018 | 07h00Atualizada em 03/04/2018 | 07h00

Neto Fagundes: "E para quem irão torcer essas crianças?

O casamento resistiu à rivalidade, eles aprenderam que o melhor é a torcida mista

Neto Fagundes: "E para quem irão torcer essas crianças? Luciano Périco/
Como fica um filho de torcida mista? Foto: Luciano Périco

Não tive esse problema de saber para quem meus filhos iriam torcer, pois antes mesmo do primeiro beijo com a minha namorada e hoje minha mulher rolou aquela pergunta de por qual time ela torcia. Como nasci colorado de pai e mãe, nunca tive dúvidas do meu time do coração, e ela também. Não sabia que ficaríamos tanto tempo juntos, mas naquele primeiro encontro foi bom saber que torcíamos pelo mesmo time, o Inter. 

Hoje, os nossos dois filhos são mais colorados do que nós. Torcem, sofrem, querem ir ao estádio sempre que possível, mesmo que chova canivete. A nossa combinação deu certo e fez aumentar ainda mais a grande nação colorada. Conheço muitos casais que não têm a mesma sorte de todos torcerem pelo mesmo time. Parece bobagem, mas isso compromete até o churrasco em família do fim de semana. Se tiver clássico, é ainda pior, a flauta pega. 

O pai e a mãe torcem para o mesmo time, mas um dos filhos resolve ser do adversário pois o tio levava ele no jogo, e ele acabou se apegando ao clube contrário. Tatuagens feitas no corpo com o escudo do clube do coração podem virar motivo de discórdia naquela cerveja e caipirinha da beira da praia. Ela, de família gremista, conhece um cara na noite, apaixonam-se e uma das coisas que sempre fizeram foi discutir futebol e tocar flauta um no outro. Ela, Renato, ele, Fernandão. Ela, Luan, ele, DAlessandro. No banheiro das casas, toalha do Grêmio pendurada ao lado da toalha do Inter. Em cima da churrasqueira, duas placas, uma dizendo: "Aqui vive um Colorado Feliz!" e a outra "Aqui vive uma tricolor Feliz!". Muito complicado, pois na gangorra Gre-Nal se um está bem o outro vai mal. 

Os nomes

O casamento desses conhecidos resistiu à rivalidade, eles aprenderam que o melhor é mesmo a torcida mista. Se misturaram, ela engravidou e vai nascer o nenê ou os nenês . Quarto cheio de visitas e duas placas na porta do hospital, uma com o distintivo do Inter e ao lado uma placa com o escudo do Grêmio . O nome ainda não foi definido, ela quer Danrlei e ele Figueroa. Se for menina, ela quer que se chame Luana, e ele escolheu D'Alessandra. Não é que nasceram gêmeos e até agora eles  ainda continuam discutindo os nomes. Cada um que entrava no quarto fazia a mesma pergunta: "Para quem será que irão torcer essas crianças?" Isso, realmente, só o tempo dirá. Fizeram um acordo sobre os nomes dos gêmeos, se chamarão  Fernando e Arthur. Para quem irão torcer, ainda não sei! 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros