Cacalo: "O sistema do árbitro de vídeo ainda precisa de uma série de correções de rumo" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão tricolor29/06/2018 | 07h00Atualizada em 29/06/2018 | 07h00

Cacalo: "O sistema do árbitro de vídeo ainda precisa de uma série de correções de rumo"

A origem do pedido de utilização do árbitro de vídeo precisa ficar bem definida e publicizada

Cacalo: "O sistema do árbitro de vídeo ainda precisa de uma série de correções de rumo" Mladen ANTONOV/AFP
QG do árbitro de vídeo na Copa do Mundo da Rússia. Foto: Mladen ANTONOV / AFP
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

Genericamente, penso que a colocação deste instrumento, o vídeo, para ser observado por uma ou mais pessoas, pode vir a ser um avanço para o futebol. No entanto, há uma série de observações necessárias para a correta implantação do sistema. A origem do pedido de utilização do árbitro de vídeo precisa ficar bem definida e publicizada.

Não se admite mais no futebol atual aquele costumeiro segredo sobre coisas da arbitragem. Em outros esportes, como o voleibol, por exemplo, está claramente determinado quem faz o pedido e em que circunstâncias é feito.

Em mãos humanas

De qualquer sorte, contrariando minha própria opinião, e procurando não ser contraditório, tenho para mim que a utilização deste sistema novo não vai solucionar as dúvidas de determinados lances. Pelo simples fato de que, embora com auxílio do vídeo, os que decidem são seres humanos.

Mas a tendência é de que diminuam erros de arbitragem. Os românticos têm sido contra, pela razão de que o equívoco faz parte do futebol e a falibilidade do ser humano integra esse contexto.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros