Cacalo: "Seleção que jogou contra a Costa Rica ainda não foi o Brasil" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão tricolor23/06/2018 | 07h00Atualizada em 23/06/2018 | 07h00

Cacalo: "Seleção que jogou contra a Costa Rica ainda não foi o Brasil"

Time brasileiro repetiu alguns dos erros e problemas da estreia, mas mudanças no intervalo alteraram a feição da equipe e a puseram no caminho de se redescobrir

Cacalo: "Seleção que jogou contra a Costa Rica ainda não foi o Brasil" OLGA MALTSEVA/AFP
Neymar se irrita após perder lance no jogo contra a Costa Rica Foto: OLGA MALTSEVA / AFP
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

A primeira etapa do jogo da  Seleção Brasileira  foi praticamente igual à partida da estreia contra a Suíça. O Brasil foi uma equipe sem objetividade, com troca de passes inócuos, sem chances de marcar. Parecia que iria se repetir a medíocre atuação anterior.

No intervalo, o técnico Tite mexeu com muita sabedoria no time. Colocou em campo, de início, Douglas Costa, que deu nova vida ao ataque brasileiro, mesmo jogando pela ponta direita. Depois, entrou o centroavante Firmino, que foi decisivo no  primeiro gol brasileiro.

O importante é que no segundo tempo, o Brasil voltou a jogar um bom futebol, trazendo de volta a esperança na conquista do título.

Indignação

 Neymar joga aparentemente descontado. Pelo que mostrou, Douglas Costa deverá assumir a titularidade e Firmino, por sua vez, também está jogando mais do que Gabriel Jesus.

Contra a Sérvia, a seleção precisa jogar bem, para recuperar a confiança necessária para retomar o caminho do título. Pelo que vimos, não há seleção melhor do que o Brasil. Falta só um pouco de capacidade de indignação ao time.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros