Zé Alberto Andrade: "Marcação mexicana é menos dura" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Zéleção Canarinho28/06/2018 | 07h00Atualizada em 28/06/2018 | 07h00

Zé Alberto Andrade: "Marcação mexicana é menos dura"

Vai ser jogo de bola jogada, de velocidade individual e de espaços para o Brasil

Zé Alberto Andrade: "Marcação mexicana é menos dura" FRAN¿?OIS-XAVIER MARIT / AFP/AFP
Time mexicano é irregular Foto: FRAN¿?OIS-XAVIER MARIT / AFP / AFP
José Alberto Andrade
José Alberto Andrade

ze.alberto@rdgaucha.com.br

Encarar os mexicanos será muito melhor do que seria enfrentar a Alemanha nas oitavas. Mesmo que os alemães tenham feito um fiasco no Mundial, seria inevitável o tema paralelo da lembrança dos 7 a 1, o que geraria uma tensão maior para a partida. O México historicamente é irregular, mas isto não significa facilidade. 

O que ajuda é que o estilo do adversário é de uma marcação menos dura na comparação com os europeus.  Vai ser jogo de bola jogada, de velocidade individual e de espaços para o Brasil. 

Melhor da Copa

Não é exagero e nem bandeiraço brasileiro. Phillippe Coutinho está habilitado a concorrer ao título de craque do Mundial. O meia do Barcelona até agora desbancou Neymar como principal jogador do Brasil e não fica devendo ao grande Cristiano Ronaldo ou ao croata Modric, que jogaram muito nesta primeira fase. Coutinho assumiu com qualidade a armação da equipe, já fez gols em momentos importantes e protagonizou lances belíssimos e produtivos como a assistência para o gol de Paulinho contra a Sérvia. 

Evolução e otimismo

O Brasil não só ganhou da Sérvia. A Seleção venceu a si mesma com muitos jogadores fazendo a melhor atuação nesta Copa. Thiago Silva , que já vinha bem, foi soberbo na zaga e ainda marcou de cabeça contra os grandalhões adversários. Neymar também evoluiu, solidário e motivado; Paulinho reencontrou os gols e foi competente no meio; Fágner está afirmado como dono da lateral-direita; Coutinho virou maestro e até Fernandinho, quando entrou, deu contando recado. 

Faltam melhores atuações de Gabriel Jesus, mas a média melhorou muito. A má notícia da classificação brasileira, porém, ficou por conta da lesão de Marcelo. Por melhor que tenha sido a atuação de Filipe Luís contra a Sérvia - e ele foi bem - , o titular é considerado o melhor do mundo na posição e faz muita falta. 

MONTANHA RUSSA 

NO TOPO 

Thiago Silva - Tem sido o grande zagueiro do Brasil e um dos melhores do mundial. Mostra ter superado o trauma de 2014. 

DESPENCANDO

Alemanha - A desclassificação não foi acidente. Os campeões do mundo foram mal em todas as partidas, e ficaram na lanterna do grupo. O maior vexame do torneio até aqui. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros