Cacalo: "Com o time quase todo reserva, pode-se dizer que o Grêmio ganhou um ponto" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão tricolor07/09/2018 | 07h00Atualizada em 07/09/2018 | 07h00

Cacalo: "Com o time quase todo reserva, pode-se dizer que o Grêmio ganhou um ponto"

Pensando no Campeonato Brasileiro, no entanto, esse ponto foi insuficiente

Cacalo: "Com o time quase todo reserva, pode-se dizer que o Grêmio ganhou um ponto" Lucas Uebel/Gremio.net
Grêmio e Santos ficaram no 0 a 0 na noite de quinta-feira (6) Foto: Lucas Uebel / Gremio.net
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

Para efeito de time quase inteiramente reserva, o Grêmio teve uma atuação razoável e pode-se dizer que ganhou um ponto. Jogou com capacidade para vencer. No entanto, faltou aquele último toque, o chute final certeiro para o gol adversário. 

Leia mais
Grêmio valoriza ponto conquistado contra o Santos e se vê "forte" para o Gre-Nal
"Estamos vivos na briga pelo Brasileirão", diz Renato Portaluppi
Gabigol: "Renato disse que me quer no time dele"

Pensando em Campeonato Brasileiro, esse ponto foi insuficiente, visando à aproximação dos dois líderes, mas é o que foi possível com a escalação que foi a campo. Infelizmente, enquanto outros podem se preparar, o Tricolor vê-se obrigado a treinar jogando. 

Thaciano teve uma boa atuação, repetindo partidas anteriores. O meio-campo, de uma maneira geral, esteve bem. Porém, André mais uma vez não correspondeu. Não sei o que se passa com esse atleta, que, ao longo da carreira, sempre foi um goleador. Alisson também jogou bem, mas foi castigado com inúmeras faltas violentas, quando o árbitro deveria ter expulso jogadores santistas. 

Agora, o Grêmio precisa descansar e buscar uma preparação adequada para enfrentar o líder do campeonato. Não resta dúvida que vamos de time misto, e o Inter é favorito, principalmente por jogar em sua casa. Mas vamos tentar enfrentar o melhor time da competição.

Prejuízo grande

Sem Everton e Kannemann, o prejuízo é muito grande para o Tricolor, mas sabemos que é o ônus que o time campeão tem de enfrentar. Enquanto isso, a gloriosa CBF e sua seleção caça-níquel vai a campo com os mesmos jogadores que foram eliminados nas quartas de final na Copa do Mundo. E os grandes times perdem seus craques para ficarem na reserva. Parabéns, CBF e Tite!

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros