Cacalo: "Não importa que o Grêmio tenha criado mais, o que vale é bola na rede" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão Tricolor10/09/2018 | 07h00Atualizada em 10/09/2018 | 07h00

Cacalo: "Não importa que o Grêmio tenha criado mais, o que vale é bola na rede"

Por justiça, tenho de cumprimentar o Inter pela vitória 

Cacalo: "Não importa que o Grêmio tenha criado mais, o que vale é bola na rede" LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
Entrada de meninos como o meia Jean Pyerre melhoraram o rendimento do Grêmio Foto: LUCAS UEBEL / GREMIO FBPA
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

Na medida em que futebol deve ser visto com os olhos, inegavelmente, foi o Inter que marcou o gol. E, como tal, venceu o clássico.

Tenho, reiteradamente, dito e escrito que, nesse esporte, não há justiça ou injustiça. Não importa que o Grêmio tenha tido três ou quatro chances vivas de marcar e que o goleiro colorado tenha sido o melhor jogador em campo, pois o que vale é bola na rede. E, agora sim, por justiça, tenho de cumprimentar o Inter pela vitória. 

Leia mais
Em súmula, árbitro atribui confusão a ofensas de Maicon e ida de Renato ao vestiário do Inter
Renato reclama de postura de colorados após confusão: "O Grêmio sabe ganhar e sabe perder"
Bolzan condena briga após Gre-Nal: "Grêmio foi desrespeitado"

Por outro lado, o time reserva ou misto com alguns juvenis, realizou boa partida, até melhor do que esperávamos. Sem Kannemann, Jael, Maicon e Everton, a equipe teve bom rendimento. Especialmente quando os meninos Pepê, Jean Pyerre e Thonny Anderson entraram, surgiram as grandes chances. 

Mas a oportunidade mais viva foi um chute de Geromel frente ao goleiro do Inter. Futebol é assim, ganha quem faz os gols — ou pelo menos um. 

Hostilidade

Lamentavelmente, alguns jogadores do Inter, desacostumados a vencer, criaram uma situação de hostilidade pós-jogo, absolutamente desnecessária, num clássico disciplinado. No futebol, é preciso saber ganhar e perder. 

Talvez alguns que não têm conquistado nada nos últimos anos, se o fizerem, aprenderão. A falta de títulos oprime um clube, uma torcida e, principalmente, maus profissionais. Mas é a vida, que segue ensinando sempre. Basta ter humildade para aprender. 

Às vezes, é mais importante saber ganhar do que perder, principalmente quando as vitórias e títulos são raros.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros