Cacalo: "As manifestações esdrúxulas sobre o pênalti marcado para o Grêmio" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão tricolor09/10/2018 | 07h00Atualizada em 09/10/2018 | 07h00

Cacalo: "As manifestações esdrúxulas sobre o pênalti marcado para o Grêmio"

Em alta velocidade, o jogador é tocado e se desequilibra. Logo, pênalti

Cacalo: "As manifestações esdrúxulas sobre o pênalti marcado para o Grêmio" Félix Zucco/Agencia RBS
Tricolor empatou com o Bahia Foto: Félix Zucco / Agencia RBS
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

Quero voltar ao jogo de sábado passado, contra o Bahia, para que não passe em branco a minha opinião sobre tal partida. A realidade tem que ser enfrentada por nós, gremistas, para que possamos, dentro das nossas possibilidades, colaborar com o time. Críticas construtivas devem ser sempre bem aceitas, pelo menos é o que penso. 

Leia mais
Não é um bom momento para o Grêmio enfrentar o River Plate
Arena garante que Grêmio não ficará período sem estádio em função da Copa América
Sala de Redação: os erros de Renato no empate do Grêmio contra o Bahia

O Grêmio não foi bem. Não fez uma boa partida. A atuação, principalmente na primeira etapa, foi ruim. Inegavelmente, a equipe foi lenta, trocando passes laterais com muito pouca objetividade. Posso manifestar aquilo que pode ser uma contradição ou uma contrariedade. Embora os laterais que jogaram tenham tido uma boa atuação, confesso que senti falta de Léo Moura e Cortez. O direito, pela qualidade que oferece ao time, pela experiência e pelo ritmo que impõe ao seu lado. E isso tudo, apesar de sua idade. No lado esquerdo, Juninho Capixaba até gol fez, aliás o segundo, mas, penso que faltou alguma consistência ao setor, principalmente na hora de marcar. 

No entanto, ambos são jovens e também precisam jogar, para manterem o ritmo de jogo. No segundo tempo, o time melhorou, mas, ainda assim, não foi o Grêmio de partidas anteriores. 

Medidor de força

O que nos consola é que o técnico Renato assistiu ao mesmo jogo que nós e saberá corrigir as falhas ocorridas. Mas, como escrevi na coluna de ontem, nem sempre o Grêmio vai jogar bem e ganhar, inclusive pelas próprias carências do elenco. Porém, o que chamou a atenção foram manifestações esdrúxulas de que o pênalti marcado em favor do Grêmio não teria ocorrido. O puxão do jogador do Bahia não teria sido suficientemente forte para derrubar o atleta gremista. Convenhamos. Em alta velocidade, o jogador é tocado e se desequilibra, logo, pênalti. Ou vamos comprar um medidor de força para sabermos a extensão do toque.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros