Cacalo: "Não se pode concordar com o comando de entidades corruptas" - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Paixão Tricolor07/11/2018 | 07h00Atualizada em 07/11/2018 | 07h00

Cacalo: "Não se pode concordar com o comando de entidades corruptas"

Enquanto os clubes não se unirem continuarão à mercê da CBF e da Conmebol

Cacalo: "Não se pode concordar com o comando de entidades corruptas" Marcelo Cortes/Fotoarena/Lancepress
Até mesmo a eleição da nova direção da CBF já se encontra sub judice Foto: Marcelo Cortes / Fotoarena/Lancepress
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

Como disse há poucos dias, retornando a esse campeonato desmoralizado e contaminado, mas que, infelizmente, leva à Libertadores, que também agora é suspeita de transgressões legais, o Grêmio retoma a busca pelo G-4. Lamentavelmente, estamos todos submetidos a desmandos e flagrantes de irregularidades por parte de quem comanda o futebol brasileiro e sul-americano, mas temos de seguir essa cadeia de ilegalidades e de vontades baseadas em interesses escusos. 

Leia mais
Jovens emprestados para ganhar experiência retornam ao Grêmio em 2019
Jean Pyerre se vê similar a Luan e comemora momento no Grêmio: "É um ano especial para mim"
Matheus Henrique se espelha na trajetória de Arthur no Grêmio: "Temos características parecidas"

Por mais que se faça apelos a uma alteração radical no comando do futebol, os clubes, cada um por seus motivos, não se interessam em criar uma liga independente, que teve o embrião no Clube dos 13, mas que não houve possibilidade de ser levada adiante. E o todo ficou prejudicado. 

Uma eventual movimentação em benefício de todos jamais acontece. Quando um clube sente-se prejudicado, procura fazer um movimento, envolvendo os demais, mas visando unicamente o seu próprio interesse. Entendo que trata-se de uma competição onde os objetivos são divergentes, mas não se pode concordar com o comando de entidades corruptas.

Continuará tudo igual?

Durante anos, fomos dirigidos por um grupo de corruptos. Eles pensavam exclusivamente em si próprios e em seus benefícios, deixando de lado o interesse maior dos clubes, que os sustentavam. Que tipo de motivação podemos ter todos, diante do quadro que se apresenta? 

A própria eleição da nova direção da CBF já se encontra sub judice. Será que vai continuar tudo igual? Na Conmebol, pelo que se viu, mudaram apenas as moscas.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros