Luciano Périco: as medidas dos clubes para reduzir sofrimento com crise financeira - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

pandemia24/03/2020 | 08h00Atualizada em 24/03/2020 | 08h00

Luciano Périco: as medidas dos clubes para reduzir sofrimento com crise financeira

CBF e as federações estaduais terão de ajudar equipes menores

Luciano Périco: as medidas dos clubes para reduzir sofrimento com crise financeira Kin Saito / CBF/CBF
Brasileirão deverá ter início adiado Foto: Kin Saito / CBF / CBF

Os grandes clubes brasileiros estão mobilizados para sofrer menos com a crise financeira gerada pela ausência de receita causada pela pausa devido à pandemia de coronavírus. Com a prudência adequada, não há previsão de retorno das atividades. A entrada de dinheiro diminui e os custos continuam. É como em qualquer empresa ou comércio. 

Leia mais
Clubes propõem antecipação das férias e redução de 25% dos salários dos jogadores
Definição sobre adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio deve ocorrer essa semana

Os times das Séries A e B tentarão mexer nos salários dos jogadores e antecipar férias, enquanto a bola estiver parada. Terá uma ampla negociação com os sindicatos locais. Os atletas que ganham altas quantias precisam ser sensíveis com a situação. A preocupação maior é com relação as entidades menores, onde os atletas ganham menos. Neste caso, a CBF e as federações estaduais, que contam com recursos polpudos, terão que ajudar. 

Tóquio 2021

Falta só o anúncio oficial. A pressão para o adiamento da Olimpíada é gigante. O Comitê Olímpico Internacional (COI) em parceria com a organização dos Jogos 2020 tomará a medida mais sensata. O cancelamento definitivo seria inadequado. O melhor é empurrar para o ano que vem no mesmo período. Óbvio que qualquer questão econômica é muito menor do que a vida das pessoas. A disseminação do coronavírus está estabilizada no Japão. Entretanto, em outras partes do mundo, como as situações dramáticas na Itália e na Espanha e o avanço nos Estados Unidos, o controle está muito longe do ideal. Aqui no Brasil ainda estamos só iniciando a batalha. Também há um forte posicionamento dos atletas e comitês olímpicos de vários países pedindo a troca da data do evento. É hora do bom senso prevalecer.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros