Cacalo: isolamento social, ciência contra a prática  - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Preocupação06/04/2020 | 07h00Atualizada em 06/04/2020 | 07h00

Cacalo: isolamento social, ciência contra a prática 

O que devemos fazer nós diante de tantas contradições? A quem seguimos? 

Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br


Confesso que tenho acompanhado todas as manifestações científicas e as que não são em relação à atual pandemia que assola o mundo. De uns dias para cá, percebo que há pessoas em todos os lugares que estão tentando flexibilizar a questão do isolamento social. E tem começado pelo próprio presidente da República.

Leia mais
Porto-alegrenses contrariam recomendações e pausam quarentena para curtir sol ao ar livre

Mas já há outros, inclusive da área científica, defendendo a tese da flexibilização e o retorno ao trabalho. Mas a imensa maioria das autoridades médicas segue sendo radicalmente contrária. Todas estas atitudes contraditórias estão perturbando aqueles que já tinham ideia definida sobre o assunto. E o exemplo maior é a quantidade de pessoas que saíram às ruas neste final de semana.

A orla do Guaíba esteve repleta de pessoas. Paris mostrou vários franceses frequentando as ruas. Será que a enorme quantidade de seres humanos que já perderam a vida foi em vão? Será que isso por si só não seria suficiente para que houvesse mais resguardo e atenção em relação à vida humana?

A quem seguimos?

O que devemos fazer nós, pobres leigos na matéria científica, diante de tantas contradições? A quem seguimos? E quem faz parte declaradamente do grupo de risco, vai para a orla, como vimos no final de semana? Definitivamente, torna-se necessário uma radical tomada de posição dentro da realidade técnica e científica.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros