Zé Alberto: a diferença na realidade da dupla Gre-Nal e dos times do Interior - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Gigante da Galera05/05/2020 | 07h00Atualizada em 05/05/2020 | 07h01

Zé Alberto: a diferença na realidade da dupla Gre-Nal e dos times do Interior

Volta do Gauchão não depende apenas do que Grêmio e Inter fizerem

Zé Alberto: a diferença na realidade da dupla Gre-Nal e dos times do Interior Mateus Bruxel/Agencia RBS
Luciano Hocsman se reunirá com o governador Eduardo Leite nesta terça-feira Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS
José Alberto Andrade
José Alberto Andrade

ze.alberto@rdgaucha.com.br

Zé Alberto ocupa o espaço na coluna Gigante da Galera durante as férias de Luciano Périco.

Quem vê o aparato científico que envolve a volta aos trabalhos da dupla Gre-Nal por certo renova o orgulho de ter no Rio Grande do Sul clubes como esses. Todos os protocolos médicos estão sendo seguidos, kits de testes comprados, barracas montadas nos CTs para ninguém ir para os vestiários. Todos de máscaras e ainda algumas pessoas vestidas como se fossem seres do futuro, com uma indumentária sofisticada para não haver contágio pelo coronavírus.

Leia mais
FOTOS: na véspera da reapresentação do elenco, Inter prepara CT para receber atletas
FOTOS: Grêmio prepara CT Luiz Carvalho para receber reapresentação do elenco

Faltando ainda o retorno das atividades mais convencionais com bola, não haveria nenhum exagero em colocar como possível que Grêmio e Inter tivessem condições de fazer um hipotético clássico num prazo médio de tempo. 

De outra parte, pensar no Gauchão retornando com seus outros 10 clubes passa a ser um sonho bem mais distante. Sequer há a liberação de treinos em todas as cidades do Interior envolvidas. 

Exames

A Federação Gaúcha de Futebol (FGF) não garantiu ainda o pagamento dos exames, fundamentais para a normalização das atividades. Chegou a se falar em testes por amostragem, o que é condenado pelos virologistas. Há ainda a preparação dos locais de treinamentos, a logística mais cara nas viagens e, para alguns clubes, a própria definição de um novo elenco.

É hora de se respeitar os limites das equipes interioranas, seja dando a elas o apoio que precisam, não expondo a dura realidade de quem peleia permanentemente para manter acesa a chama do futebol.

Reunião

Não é preciso torcer para que haja bom senso no encontro desta terça (5) entre o governador do Estado e o presidente da Federação. Ambos estão sendo exemplares em suas atitudes diante da pandemia, cada um dentro da sua responsabilidade. O que Eduardo Leite e Luciano Hocsman encaminharem para depois ser levado aos clubes terá, por certo, uma sustentação médico-científica. Mesmo que haja divergência diante do que for decidido, a decisão merecerá a torcida de todos para que dê certo.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros