Luciano Périco: a operação de guerra para que o Gre-Nal seja realizado no Beira-Rio - Esporte - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Gauchão16/07/2020 | 10h00Atualizada em 16/07/2020 | 10h00

Luciano Périco: a operação de guerra para que o Gre-Nal seja realizado no Beira-Rio

Protocolo detalhado preparado pela vice-presidência de administração do Inter está sendo analisado pela prefeitura de Porto Alegre

Luciano Périco: a operação de guerra para que o Gre-Nal seja realizado no Beira-Rio Omar Freitas/Agencia RBS
O Beira-Rio terá zonas com credenciais específicas Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

O Gre-Nal não será apenas um duelo com portões fechados por causa da pandemia. O vice de administração do Inter, Victor Grunberg, já tem pronto todo um planejamento minucioso para receber o clássico do Beira-Rio na próxima quarta-feira (22). Segundo o dirigente afirmou em Hoje Nos Esportes, na Rádio Gaúcha, se o jogo tivesse que ser realizado hoje, tudo estaria pronto para receber a partida.

Como vai funcionar? Primeiro ponto, o número de pessoas será restrito entre 200 a 250 pessoas no máximo, contando o staff dos dois times, funcionários do Inter, equipes de operações, seguranças e jornalistas credenciados para a cobertura. 

O Beira-Rio terá zonas com credenciais específicas. A área de competição — relativa ao gramado, vestiários e túnel de acesso — e as estruturas interna com zona mista, salas de coletivas e cabines de transmissão. Aglomerações no entorno serão coibidas. É o Gre-Nal do sofá.

Leia mais
"Extremamente positiva", diz Hocsman sobre reunião que debateu realização do Gre-Nal em Porto Alegre
Kannemann projeta retorno do Gauchão: "Queremos deixar o Grêmio no melhor lugar possível"
Arrependido de expulsão no Gre-Nal, Edenilson vê Inter pronto para retomada

Além disso, serão colocados corredores de descontaminação, uso de máscaras será obrigatório — exceto para os atletas em campo e arbitragem— além da medição de temperatura, higienização de calçados e álcool em gel à disposição em várias áreas do estádio. Será uma verdadeira operação de guerra com um protocolo rigoroso para minimizar os riscos. Agora só falta o aval do prefeito Nelson Marchezan Jr

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros