Luciano Périco: Sonhar com Daniel Alves não está proibido para o Inter - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

O caro e o barato 22/09/2021 | 09h00Atualizada em 22/09/2021 | 09h00

Luciano Périco: Sonhar com Daniel Alves não está proibido para o Inter

Lateral-direito deixou o São Paulo e está livre para acertar com qualquer clube do Brasil

Luciano Périco: Sonhar com Daniel Alves não está proibido para o Inter DANIEL LEAL-OLIVAS / AFP/AFP
Daniel Alves foi o capitão da conquista do ouro olímpico em Tóquio Foto: DANIEL LEAL-OLIVAS / AFP / AFP

O Inter monitora a situação de Daniel Alves. Fluminense, Athletico-PR e Flamengo também estão de olho no jogador. É inegável a sua qualidade técnica e liderança positiva. 

O experiente atleta tem um histórico vitorioso na Europa. Mete muita faixa no peito. Já vestiu as camisas pesadas do Barcelona, Juventus e Paris Saint-Germain. Depois de conquistar o ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, quer ficar na vitrine para jogar a Copa do Catar pela Seleção Brasileira. 

Com a dificuldade de contar com Saravia em 2022, seria um baita acréscimo para o Inter já a partir de agora. Para ficar com o argentino, o clube teria que desembolsar algo próximo de 5 milhões de euros ao Porto, de Portugal. Um valor inviável. Somente será possível se os portugueses ampliarem o empréstimo. Mas não gosto da ideia de Daniel Alves atuar no meio-campo.

Leia mais
Cotado no Inter, Daniel Alves cita Chapolin Colorado em postagem enigmática: "Sigam-me os bons"
Como foi a passagem de Daniel Alves pelo São Paulo
Três desafios de Aguirre para os próximos jogos do Inter

Com pouco recursos disponíveis, algo pregado pelos dirigentes, o Inter não pode esquecer a necessidade de contratar um armador. É preciso gastar para reformular o time em 2022. 

Daniel Alves não é um atleta barato. Saiu do Morumbi por falta de pagamento. Ficou uma dívida milionária para o São Paulo. Para trazer o lateral-direito para o Beira-Rio, será necessário fazer uma reengenharia financeira. O Colorado não deve fazer loucuras. Mas já cansamos de ver jogadores de custo baixo (ou nem tanto), que não dão resposta em campo. Na conta final, acabam sendo muito caros pelo custo benefício. 

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros