Luciano Périco: o longo jejum quebrado com toda a justiça no Brasileirão - Esporte - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

50 anos depois03/12/2021 | 09h00Atualizada em 03/12/2021 | 09h00

Luciano Périco: o longo jejum quebrado com toda a justiça no Brasileirão

Atlético-MG virou o marcador sobre o Bahia e saiu campeão da Fonte Nova

Luciano Périco: o longo jejum quebrado com toda a justiça no Brasileirão Atlético-MG / Divulgação/Divulgação
Keno foi destaque na vitória do Galo em Salvador Foto: Atlético-MG / Divulgação / Divulgação

Foi uma longa espera. Depois de 50 anos, o Atlético-MG volta a conquistar o Brasileirão. Imagino a felicidade da legião de atleticanos, que nunca haviam sentido o gosto de um título do principal campeonato do país.

Não há qualquer reparo que possa ser feito ao desempenho da equipe de Cuca. Após a virada épica sobre o Bahia por 3 a 2 chegou aos 81 pontos. Um aproveitamento de 75%. Deixou na fumaça os também milionários Flamengo e Palmeiras. 

Com muito poder de investimento, o Galo formou um grupo muito qualificado sob comando do executivo de futebol Rodrigo Caetano. Destaco a contratação de Hulk, do futebol japonês, para ser o grande protagonista da campanha. Penso que será escolhido como o craque do Brasileirão. 

Leia mais
Renato Portaluppi diz ter realizado sonho ao treinar o Flamengo
Como a vitória sobre o São Paulo afeta a briga do Grêmio contra o rebaixamento
Tempo de contrato, valores e concorrência: o debate interno sobre Felipe Melo no Inter

Buscou no River Plate a qualidade técnica diferenciada de Nacho Fernández. Como cereja do bolo trouxe, durante a campanha, o experiente e vencedor Diego Costa, que estava no Atlético de Madri. Acabou o maior jejum de um dos grandes do Brasil.

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros