México despacha Paraguai e avança na Copa América - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

08/07/2007 | 19h00

México despacha Paraguai e avança na Copa América

Time de Hugo Sanchez venceu por 6 a 0 em Maturín, na Venezuela

O México se garantiu nas semifinais da Copa América ao aplicar uma goleada de 6 a 0 no Paraguai neste domingo. A seleção comandada por Hugo Sanchez não teve dificuldade alguma no jogo, pois os paraguaios tiveram o goleiro Bobadilla expulso nos minutos iniciais. Os gols da partida realizada em Maturín foram assinalados por Castillo (duas vezes), Torrado, Blanco e Arce e Bravo.

O Paraguai começou a se complicar logo nos primeiros minutos de jogo. Aos 2 minutos, depois de um passe errado do zagueiro Cáceres, a bola sobrou para Castillo ficar frente a frente com Aldo Bobadilla, que ao ser driblado acabou derrubou o atacante dentro da área. Resultado: além de assinalar o pênalti, o árbitro Sérgio Pezzotta ainda expulsou o goleiro, obrigando o técnico Gerardo Martino a sacar o meia Santana para colocar o arqueiro reserva, Zayas. Na cobrança, Castillo não titubeou e chutou firme no canto esquerdo para inaugurar o placar para o México aos quatro jogados.

Sem um de seus homens de criação, o Paraguai não conseguia sair para correr atrás do resultado, permitindo que o México continuasse pressionando embora este estivesse na frente do placar. Os sul-americanos só conseguiram sair da pressão aos 12 minutos, quando Cardozo, aproveitando um cruzamento da direita, cabeceou firme e a bola passou do lado da trave de Sánchez, assustando o goleiro mexicano.

Cardozo voltaria a levar perigo dois minutos depois, quando o atacante pegou a bola na intermediária, chutou firme e o disparo passou pelo canto direito de Sánchez. No entanto, os mexicanos voltariam a assustar novamente. Aos 19, Torrado, fazendo boa jogada pela intermediária tocou dentro da área para Castillo, que passou para Cacho, que por sua vez empurrou para as redes. Este seria o segundo gol do México se um dos assistentes não tivesse assinalado, erroneamente, o impedimento de Castillo no momento em que recebeu o passe.

Melhor em campo, o México não demorou a ampliar o placar. Aos 26 minutos, Cacho recebeu um passe longo vindo do meio campo, aparou a bola e esperou o momento certo para tocar para Torrado, que apareceu em velocidade e chutou forte para fazer seu primeiro gol na Copa América e o segundo de sua equipe na partida. Com vantagem estabelecida, os mexicanos passaram a cadenciar o jogo e trocar passes no meio campo.

Mesmo assim, o México faria mais um antes do intervalo. Aos 38, aproveitando-se da fragilidade da defesa paraguaia, Torrado lançou a bola no meio da área para Castillo, que matou no peito tranqüilamente e encheu o pé para fazer seu segundo gol na partida. Três minutos depois o time de Hugo Sánchez teve a chance de estabelecer uma goleada ainda no primeiro tempo, quando Castillo recebeu um passe, invadiu a área e cruzou para Correa, que incrivelmente chutou para fora embora estivesse de frente para o gol.

No segundo tempo os paraguaios não demonstravam muitos sinais de reação. Melhor para o México, que continuava mandando no jogo e se preocupava apenas em administrar o resultado. Com isso o primeiro lance de perigo só foi acontecer aos nove minutos, quando enfim o Paraguai conseguiu chegar perto da meta adversária. Depois de uma confusão dentro da área, a bola sobra para Roque Santa Cruz, que, desajeitado, chutou fraco e a bola saiu pelo canto esquerdo do goleiro Sánchez.

Aos 17 minutos o Paraguai levou perigo mais uma vez, desta vez com Barreto, que invadiu a área pela esquerda, chutou cruzado mas a bola caprichosamente passou rente à trave. O México respondeu aos 22 em um lance similar. Bautista passou a bola na esquerda para Guardado, que chutou forte e o tiro acabou passando rente ao poste direito de Zayas.

Depois disso, o jogo amornou, mas o México esquentaria tudo de novo doze minutos depois, quando fez seu primeiro tento no segundo tempo. Arce carregou a bola pela direita e, percebendo o goleiro Zayas adiantado, tocou bonito no ângulo esquerdo para fazer o quarto gol mexicano no jogo, pouco antes de dar lugar ao veterano Cuauthémoc Blanco.

Cinco minutos depois, o placar do time de Hugo Sánchez se alargaria ainda mais. Guardado invadiu a área, passou por dois marcadores e foi derrubado por Morel Rodríguez. Pênalti. Na cobrança Blanco chutou com categoria no canto esquerdo de Zayas, que nem se mexeu. Aos 46 minutos o México fechou a goleada com um gol de  Omar Bravo, que aproveitou um cruzamento vindo da direita. Final de jogo 6 a 0 para os mexicanos.

Depois desta tranqüila vitória, os mexicanos podem ter uma pedreira pela frente nas semifinais. Caso a Argentina vença o Peru neste sábado, o México voltará a enfrentar seus carrascos nas oitavas-de-final da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha. Na oportunidade, os mexicanos conseguiram manter a igualdade durante boa parte da partida, mas na prorrogação prevaleceu a tradição da camisa alviceleste e, com um golaço de Maxi Rodríguez, os argentinos conseguiram avançar para as quartas-de-final do Mundial.

GAZETA PRESS

Notícias Relacionadas

08/07/2007 | 16h51

Imprensa venezuelana lamenta eliminação na Copa América

Jornais manchetearam derrota para o Uruguai dizendo que "o sonho acabou"

07/07/2007 | 21h12

Uruguai bate Venezuela e está nas semis da Copa América

Time celeste venceu os donos da casa por 4 a 1

07/07/2007 | 17h22

Argentina e Peru voltam a se encontrar na Copa América

Seleções disputaram vaga na semifinal na edição de 2004

 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros