Mais de três mil leitos do SUS fecharam nos últimos 16 anos em Porto Alegre - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

03/02/2010 | 08h45

Mais de três mil leitos do SUS fecharam nos últimos 16 anos em Porto Alegre

No mesmo período, a cidade ganhou 156 mil habitantes

Levantamento do Ministério da Saúde mostra que, nos últimos 16 anos, 3.199 leitos do SUS fecharam na Capital. No mesmo período, a cidade ganhou 156 mil habitantes.

Além disso, milhares de doentes se deslocam diariamente da Região Metropolitana e Interior à Capital, em busca de serviços de saúde.

O resultado é a lotação das emergências de grandes hospitais da Capital. Essas áreas, que deveriam ser de ações e decisões médicas imediatas, viraram depósitos de doentes, prejudicando o trabalho dos profissionais e aumentando o risco de infecções.

A carência não se restringe às urgências. Enquanto a fila de espera por leitos e o número de vagas fechadas aumentam, autoridades buscam soluções para compensar o prejuízo.

A conta é simples: há mais pacientes do que a oferta de leitos na Capital. No caso das emergências, o problema ganha contornos dramáticos. Alas abarrotadas de pacientes, sem atendimento adequado, e pessoas na fila de espera, sem perspectiva de internação.

O agravamento da crise no setor iniciou na década de 90, com o fechamento de vários hospitais, entre eles o Ipiranga e o Lazzarotto. Entre 2003 e 2007, 11 hospitais do Interior encerraram suas atividades, eliminando cerca de 2 mil vagas bancadas pela União.

Em abril do ano passado, em grave crise financeira, a Ulbra lacrou as portas do Independência (100 leitos) e do Luterano (120 leitos), aumentando a demanda na Capital.

Há duas semanas, a Emergência do Hospital Conceição estava atendendo além de sua capacidade. Num espaço destinado a 50 doentes, havia 144 – a maioria com doenças crônicas. A superintendente Jussara Cony reclamou:

– Se a rede de atendimento básico funcionasse na Capital e na Região Metropolitana, não haveria isto.

Por meio da assessoria de comunicação, a Secretaria Municipal de Saúde informou que fez uma proposta para reabertura do Hospital Independência.

Desde a criação do SUS, em 1988, o Estado registrou uma queda de 40% no número de internações. Naquele ano foram autorizadas 1,1 milhão de internações. Em 2009, 710 mil.

De acordo com o secretário estadual da Saúde, Osmar Terra, investimentos em prevenção e procedimentos de média e alta complexidade teriam contribuído para a redução.

Emergências (*)

Hospital
Cristo Redentor - Vagas: 22  Internados:10
Conceição - Vagas: 50  Internados: 112
Clínicas - Vagas: 49  Internados: 118
Santa Casa - Vagas: 8  Internados: 33
São Lucas/PUC - Vagas: 15  Internados: 36

Fonte: (*) Levantamento feito pelo Diário Gaúcho na tarde de segunda-feira
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros