Versão mobile

13/05/2010 | 06h50

Executor de quadrilha é preso

Vagner Vicente, o Baleia, era um dos criminosos mais procurados de Canoas

Enviar para um amigo
Vagner Vicente, o Baleia, era um dos criminosos mais procurados de Canoas. Segundo a polícia, ele seria o braço direito de traficantes que estão em penitenciária.

Foi preso ontem um dos foragidos mais procurados de Canoas. Integrante de um grupo de extermínio comandado por dois presidiários ligados ao tráfico de drogas, Vagner Peres Vicente, o Baleia, 21 anos, foi detido em uma casa em Sapucaia do Sul. O nome de Baleia estava em uma lista publicada pelo Diário Gaúcho em fevereiro.

A prisão foi realizada por agentes das 1ª e 3ª DPs de Canoas.

- Acusado está em 20 inquéritos

De acordo com o delegado Guilherme Pacífico, o acusado responde a 20 inquéritos por homicídios. Baleia era o responsável por comandar as execuções ordenadas pelos líderes do grupo.

– Na rua, Vagner era o braço direito dos dois presidiários. Ele era o inimigo número 1 de Canoas – disse o delegado.

- Bando cometeu cem homicídios

O bando começou a ser desarticulado no ano passado, após ser desencadeada a Operação Cova Rasa, uma parceria das polícias Civil e Militar e Ministério Público. Desde então, 65 suspeitos de integrar o grupo foram presos.

Segundo Pacífico, a quadrilha foi responsável por mais de cem assassinatos em Canoas entre os anos de 2008 e 2009 – todos nos bairros Mathias Velho e Mato Grande. A maioria das vítimas era de pessoas ligadas ao tráfico de drogas.

ENTENDA O CASO

Janeiro de 2009
- O relato de uma usuária de crack sobre um assassinato permite a agentes da 1ª DP descobrir o que estava por trás do aumento do número de homicídios na cidade.
- Os crimes eram cometidos pelo mesmo bando, que tinha uma marca: os chefes, mesmo estando presos, escutavam pelo celular seus comandados executando desafetos.

Junho de 2009
- No amanhecer do dia 4, 500 agentes das polícias Civil e Militar deflagram a operação Cova Rasa, que resultou na prisão de 20 suspeitos de integrarem a rede de extermínio responsável por cerca de cem mortes entre 2008 e 2009 em Canoas.
- O líder do grupo é identificado como Jaime Evangelista Pires, o Nego Jaime, então com 36 anos e preso desde 1997 por homicídios e assaltos.
- A maioria dos mortos era da própria quadrilha. Eles pegavam crack e não pagavam.
- No dia 18, com a prisão de Valdevino da Silva, o Bimbo, 23 anos, e Thiago Treher Vilar da Silva, 25 anos, sobe para 50 o número de suspeitos de pertencerem ao grupo.
Julho de 2009
- No dia 25, a 1ª DP de Canoas encerra o inquérito sobre a Operação Cova Rasa. Uma quadrilha de traficantes de crack é responsabilizada pelos homicídios. São indiciados 23 suspeitos de integrarem o grupo organizado.
- A operação foi chamada de Cova Rasa porque o alvo principal eram os autores de homicídios que costumavam abandonar os corpos sem se preocupar em escondê-los, como barrancos e valas.

DIÁRIO GAÚCHO

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários
clicRBS
Nova busca - outros