Trensurb tem escadas rolantes paradas - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

18/05/2010 | 06h50

Trensurb tem escadas rolantes paradas

Equipamento é imprescindível para quem tem dificuldades de locomoção

Trensurb tem escadas rolantes paradas Vinícius Roratto, Especial/
Usuários sofrem com o transtorno Foto: Vinícius Roratto, Especial
Quem utiliza diariamente o trensurb sabe o quanto facilita a vida o uso da escada rolante. Para as pessoas com dificuldade de locomoção, então, o equipamento é imprescindível. Nas estações Unisinos e São Leopoldo, porém, os usuários vêm sendo prejudicados, pois quatro equipamentos estão desligados.

Em dezembro de 2009, fevereiro e março deste ano, as escadas deixaram de funcionar. A demora no conserto se deve a um problema jurídico na licitação (concorrência pública para compra de bens e serviços) que definirá a empresa que fará a substituição das escadas rolantes.

– É uma falta de respeito com os usuários, principalmente com os idosos, deficientes e obesos – opina o comerciário Antônio Cláudio Rodrigues da Fé, 60 anos.

- Preocupação é com a segurança

Para a pensionista Maria Alzira Coelho, 60 anos, moradora de São Leopoldo, as escadas rolantes interditadas da Estação Unisinos são sinônimo de transtorno:

– Vou a Porto Alegre de duas a três vezes por semana porque me trato no Hospital de Clínicas. Demoro uns 20 minutos para subir porque a escada rolante está sempre estragada – lamenta a passageira, que sofre de problemas cardíacos e nas pernas.

De acordo com a Trensurb, o sistema tem 30 escadas rolantes nas 17 estações. Do total, quatro não funcionam, uma está em reforma e duas estão em manutenção preventiva.

O gerente de operações da empresa, Rubens Pazin, explica que, na próxima semana, o impasse jurídico poderá ter fim, e os consertos devem ser encaminhados.

– Enquanto as escadas tinham condições de uso, estavam funcionando. Temos a reclamação do usuário, mas nos preocupamos com a segurança – explica Rubens.

- Empresa vai investir R$ 9 milhões

Rubens afirma que, a cada dez anos de uso, a escada rolante deve ser submetida a uma reforma completa. No caso das estações Unisinos e São Leopoldo, o gerente informa que os equipamentos instalados atualmente não são adequados para o transporte de massa e, também por isso, precisam ser trocados.

– As escadas rolantes estão paradas, mas, para os portadores de necessidades especiais, há rampa e elevadores – conclui.

A Trensurb contratou a reforma de 19 equipamentos e a substituição de seis escadas rolantes, num investimento de R$ 9 milhões.

Do total, R$ 3,9 milhões são para a troca dos equipamentos no trecho entre Unisinos e São Leopoldo.

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros