A força que vem da comunidade da Estado Maior da Restinga - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 

18/02/2011 | 06h40

A força que vem da comunidade da Estado Maior da Restinga

Escola ficou próximo do título no ano passado

A força que vem da comunidade da Estado Maior da Restinga Vinícius Roratto, Especial/
Neste ano, agremiação buscou na África do Sul o embasamento de seu enredo Foto: Vinícius Roratto, Especial
Apenas dois décimos afastaram a Estado Maior da Restinga do título no ano passado, quando a escola teve a China como tema. Seria o seu sétimo campeonato no grupo principal.

Se não deu com o país mais populoso do mundo, a Tinga seguiu viagem, mudando de continente. Desta vez, buscou na África do Sul o embasamento de seu enredo.

A exemplo do que já ocorreu em 2010, a Tricolor da Zona Sul será a última das 12 escolas a pisar na passarela do samba do Porto Seco.

Estado Maior da Restinga

- Fundação: 20 de março de 1977
- Cores: verde, vermelha e branca
- Símbolo: cisne branco
- Bairro: Restinga
- Presidente: Robson Dias (Preto)
- Carnavalesco: Paulo Jorge
- Intérprete oficial: Wander Pires
- Diretor de bateria: Mestre Guto
- Mestre-sala e porta-bandeira: Chula e Priscila
- Enredo: A Restinga Multirracial Celebra a África de Mandela na Festa do Carnaval

Do povo

Fundada em 1977, a Estado Maior da Restinga conta com a força de sua comunidade. Um dos destaques é a bateria, formada quase que totalmente por moradores do bairro.

O orgulho de fazer parte da escola é ilustrado pelo grito de guerra mais conhecido do Carnaval porto-alegrense: Tinga, teu povo te ama!

"A Restinga Multirracial Celebra a África de Mandela na Festa do Carnaval”
Autor: Wander Pires e André Diniz

É ruim de aturar, chegou a tinga
Com a África do Sul que ao mundo conquistou
O mundo é uma bola e rola a emoção
É festa do meu povo campeão

Luz mais deslumbrante de olodumare
Espírito guerreiro, sangue zulu
Nutri no solo africano, ventre humano a vida
Firmeza de um baobá, garra de um felino
Selvagem a exploração que mudou seu destino

Mistérios do tambor, miçangas do poder
Savanas deslumbrantes…
Cobiça do invasor, olhar do opressor
Brilham feito ouro e diamantes

Bate no couro do atabaque feiticeiro
Traz alegria pra todos, povo guerreiro
Nelson exemplo de vida semeou
Tormentas se fez esperança que ele plantou

Negro clamou igualdade
Branca cruel tirania resistia
Chama da dignidade
Sol que trará o novo dia contagia

Desfaz as algemas da dor
As amarras da opressão
Refaz o orgulho de um povo
Laços de união

Vem ver meu estado maior
Sambar e cantar madiba
Na pele a cor do brasil
A Restinga se faz tão linda

Ao tom do samba
Alma pura e multirracial
Hoje sobe a áurea de Mandela,
Reluz no Carnaval

- Amanhã: Imperatriz Dona Leopoldina

DIÁRIO GAÚCHO

Notícias Relacionadas

17/02/2011 | 06h40

União da Vila do IAPI entra no Sambódromo em busca do primeiro título

Escola mantém-se entre as primeiras colocadas desde 1999

16/02/2011 | 06h40

De coadjuvante a candidata, Embaixadores do Ritmo busca seu espaço

Uma das escolas mais antigas do país, agremiação ainda não venceu no grupo principal

15/02/2011 | 06h30

Imperadores homenageia Santa Maria na passarela

Histórias e lendas serão tema do samba-enredo

14/02/2011 | 06h40

Império da Zona Norte: a escola que inventou o luxo

Agremiação levou sete anos para conquistar seu primeiro título

12/02/2011 | 00h16

Unidos de Vila Isabel é bem mais do que uma visitante no Carnaval de Porto Alegre

Com 11 participações, é a escola de fora de Capital com maior presença no Grupo Especial

11/02/2011 | 06h21

Águia setentona coleciona títulos

Com 70 anos, Bambas da Orgia já conquistou 18 campeonatos no grupo principal

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros