Livro do MEC não preconiza erro gramatical, afirma Haddad a senadores - No Diário Gaúcho você encontra notícias do RS, informações de utilidade pública, muito entretenimento, além de conteúdos esportivos e jornalismo policial.

Versão mobile

31/05/2011 | 11h11

Livro do MEC não preconiza erro gramatical, afirma Haddad a senadores

Ministro foi convidado a falar aos senadores da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE)

Ao falar aos senadores da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), o ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que o livro Por uma vida melhor, utilizado em escolas públicas de Educação de Jovens e Adultos (EJA), não ensina a falar ou a escrever errado, conforme dizem críticos do material.

Você concorda que os materiais didáticos devam contemplar também as formas de expressão oral, mesmo com erros? Dê sua opinião

O ministro disse que os próprios críticos do livro reconhecem não terem lido a obra. Alguns, disse, após tomarem conhecimento do total da obra, retiraram as críticas. Por outro lado, o ministro ressaltou que o MEC recebeu inúmeras manifestações apoiando o livro.

Haddad disse que os exercícios contidos no livro pedem aos alunos que transformem frases escritas na linguagem popular para a norma culta. 

—  O livro parte de uma realidade comum ao aluno e traz o estudante para a norma culta —  disse.

Ao defender uma suposta supremacia da linguagem oral sobre a linguagem escrita, o livro admite a troca dos conceitos "certo e errado" por "adequado ou inadequado". A partir daí, frases com erros de português como "nós pega o peixe" poderiam ser consideradas adequadas em certos contextos.

Apesar das críticas de educadores e escritores, o MEC já havia informado que não pretendia retirar das escolas o livro distribuído pelo Programa Nacional do Livro Didático. De acordo com o Ministério, o livro foi concebido especialmente para a educação de jovens e adultos e aprovado por um conselho editorial.

Além disso, foi referendado por uma comissão formada por professores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ainda de acordo com o ministério, não existe interferência política na escolha dos livros didáticos.

VÍDEO: Professor diz que contexto justifica
erro gramatical em livro didático. Assista:

AGÊNCIA SENADO

Notícias Relacionadas

18/05/2011 | 19h44

VÍDEO: Professor diz que contexto justifica erro gramatical em livro didático

Em debate, especialistas defendem recurso para uma abordagem educacional sobre relações entre fala e escrita

18/05/2011 | 06h44

Livro didático polêmico foi aprovado por 100% das coordenadorias regionais de educação do RS

Secretária-adjunta de Educação do Estado garante que publicação é adequada ao ensino

17/05/2011 | 15h43

Ministro será convidado a explicar uso de livro didático que defende erros de português

Comissão presidida pelo senador Roberto Requião debater o caso com ministro Fernando Haddad

17/05/2011 | 10h15

País não pode criar apartheid linguístico, diz Cristovam Buarque sobre livro do MEC com erros

Senador criticou a distribuição de livros didáticos que trazem frases como "nós pega o peixe"

17/05/2011 | 04h01

Academia Brasileira de Letras desaprova livro que defende erros de português

Ministério não irá recolher publicação que gerou críticas de especialistas

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros