Versão mobile

Transporte público07/02/2012 | 08h18

Entenda por que é preciso ter paciência para cancelar o Tri

Solicitar o bloqueio do cartão é um verdadeiro calvário para os usuários

Enviar para um amigo
Entenda por que é preciso ter paciência para cancelar o Tri Marcelo Oliveira/Agencia RBS
Rogério reclamou da demora Foto: Marcelo Oliveira / Agencia RBS

O aposentado Rogério Bengoche Silveira, 55 anos, da Vila Mapa, Lomba do Pinheiro, teve o cartão Tri furtado na noite de domingo. Quando percebeu a falta, ligou para a EPTC e foi orientado a entrar em contato com a ATP para solicitar o bloqueio do cartão.

- Como eram 22h30min, naquele horário tinha apenas uma gravação. Só consegui bloquear o cartão hoje de manhã (ontem). O bloqueio devia ser imediato - afirma.

A situação enfrentada por ele é comum já que, só no mês passado, foram feitas 4,5 mil solicitações de bloqueio.

Problema é a tecnologia

O gerente executivo da ATP, Luiz Mário Magalhães Sá, explica que não há, atualmente, uma tecnologia que permita o bloqueio imediato do cartão. A comunicação eletrônica com a frota ocorre quando todos os 1.670 ônibus estão nas 14 garagens da Capital, à noite, porque a transmissão de dados - como a solicitação de bloqueio - só é possível num raio de até 150m, entre as antenas que ficam nas garagens e os validadores (computadores) dos ônibus.

Créditos podem ter sido gastos

No caso do cartão de Rogério, mesmo tendo ligado ontem de manhã para a ATP, o sistema só realizou o bloqueio durante a noite. Todos os ônibus que saírem das garagens nesta manhã, independentemente das empresas ou das linhas, já têm a informação de que o cartão dele está bloqueado e não pode mais ser utilizado. Mas, do momento em que o cartão foi furtado até a noite em que foi feito o bloqueio, os créditos podem ter sido gastos.

Mais perdas no horário comercial

O gerente afirma que casos como o de Rogério são raros. O mais comum, segundo ele, é que a perda ocorra em horário comercial. Luiz Mário justifica que, por uma questão de economia, o atendimento ocorre das 8h às 18h e que, para ampliar o horário, seria necessário além de mais telefonistas à disposição, o trabalho adicional de toda uma equipe para colocar o sistema em funcionamento.

Serviço

- Em caso de perda, furto, roubo ou extravio, o usuário deve comunicar à Central de Atendimento do Tri pelo telefone 3027-9959.

- O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, sem parar ao meio-dia. Nos sábados, domingos e feriados, o serviço funciona das 8h às 12h e das 14h às 18h.

- É preciso informar o nome completo do usuário e dono do cartão e o número do CPF.

- Na mesma ligação, é possível solicitar a segunda via do cartão. A entrega, que só pode ser realizada depois de o cartão ser bloqueado, é feita na Rua Uruguai, 45.

- O preço da segunda via depende do perfil: usuários da passagem antecipada pagam R$ 14, idosos e aqueles que têm outras isenções pagam R$ 7 e estudantes pagam até R$ 17.

- Se o cartão antigo (furtado, ou perdido) ainda tiver créditos, o sistema transfere automaticamente para o novo cartão.

DIÁRIO GAÚCHO

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros