Vila do IAPI das águas e da consciência ecológica - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

07/02/2012 | 08h24

Vila do IAPI das águas e da consciência ecológica

Vila do IAPI das águas e da consciência ecológica Marcelo Oliveira/Agencia RBS
Sérgio Guerra comanda o barracão da Vila Foto: Marcelo Oliveira / Agencia RBS

As águas que rolam no barracão da União da Vila do IAPI, a terceira escola a entrar na passarela do samba neste Carnaval, no Sambódromo do Porto Seco, estão tranquilas. As quatro alegorias que ajudarão a contar o enredo Água, o Berço da Existência estão prontas, e o carnavalesco Sérgio Guerra poderá dar-se ao luxo de trabalhar calmamente nos detalhes finais e até investir numa inspiração a mais, já que o tempo está a favor da escola.

Com 60% de materiais reciclados de outros carnavais usados nos carros, a aposta da Vila é a criatividade. Aos espectadores faltarão olhos para perceber a riqueza de detalhes dos carros alegóricos.

Quatro carros alegóricos

No barracão, o trabalho nos carros contou com 20 profissionais, alguns de Parintins (AM). As maquetes confeccionadas por Sérgio Guerra serviram de base para as imponentes alegorias.

O primeiro carro traz o líquido da vida, líquido amniótico. No segundo, vem a água dos mares, um pouco da mitologia e a Mãe das Águas nas religiões afro, Iemanjá. Na terceira alegoria, a escola fala sobre as águas do Amazonas e também das águas de Oxum. Fica para o último carro a missão de trazer a importância da preservação da água.

- A Vila está sempre "bicando" - disse o carnavalesco, sobre as boas colocações da escola nos últimos anos.

Ficha técnica

- Cores: azul, vermelho e branco

- Símbolo: locomotiva

- Bairro: Santo Agostinho

- Fundação: 21 de março de 1980

- Presidente: Jorge Sodré

- Carnavalesco: Sérgio Guerra

- Intérprete: Renan Ludwig

- Diretor de bateria: Mestre Boneco

- Mestre-sala e porta-bandeira: Tiriri e Suelene

- Componentes: 1,6 mil

- Alegorias: 4

- Enredo: Água, Berço da Existência

O samba-enredo

Água, Berço da Existência
- Rafael Tubino e Victor Nascimento

No embalo desse mar as águas vão rolar
E a Zona Norte vem com sede pra ganhar
De azul, vermelho e branco em poesia
No Porto Seco eu faço um banho de alegria

Água presente divino
No ventre germina a vida
A brisa espalha o seu afã
Na herança de um novo dia
É fascinante a energia da mãe Iemanjá
O afago das ondas no azul do mar
Vejo florescer da terra riquezas
Brotando a natureza em comunhão
Gotas de orvalho no amanhecer
Num céu de cores em profusão

Nas verdes matas o índio a dançar
A lua cheia clareia as águas de Y-îara
Nos rios de Oxum, devoção singular
Banhada em fé a Vila vai passar

Senhor abençoe essa fonte
Que deságua dos montes
Em lagos, cachoeiras cristalinas
Buscando vitórias com inspiração
Lavando a alma, salvando vidas
O berço da existência clama por preservação
O Rio-Mar pede respeito
Lutamos com braço forte em união
Nosso canto ecoa em forma de oração
Reluzindo as cores do meu pavilhão

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros