Entrevista com Tânia Terezinha da Silva, prefeita eleita em Dois Irmãos - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 

Eleição histórica19/10/2012 | 07h04

Entrevista com Tânia Terezinha da Silva, prefeita eleita em Dois Irmãos

Vitória de candidata negra numa cidade de colonização alemã é considerada um marco em Dois Irmãos. Nas ruas, futura prefeita recebe beijos e abraços

Entrevista com Tânia Terezinha da Silva, prefeita eleita em Dois Irmãos Lívia Stumpf/Agencia RBS
Foto: Lívia Stumpf / Agencia RBS

Negra, bonita, elegante e, a partir de 1º de janeiro, nova prefeita de Dois Irmãos. Não é pouca coisa. Numa cidade de colonização alemã com 93,3% da população formada por brancos e apenas 1,1% de pretos declarados, Tânia Terezinha da Silva (PMDB) entrou para a história. E agora agradece aos eleitores:

- Danke Schön (obrigado, em alemão).

Vereadora no terceiro mandato, um deles como suplente, ela se elegeu prefeita com 9.450 votos (51,67%), 610 a mais que o adversário. Aos 49 anos, a técnica em enfermagem será a primeira mulher a ocupar o cargo no município de 27.522 habitantes, no Vale do Rio dos Sinos.

Nas ruas, acenos, beijos e abraços

Após a consagração nas urnas, Tânia reassumiu sua função na Unidade Básica de Saúde do Bairro Travessão. Ao mesmo tempo, finaliza a montagem do secretariado. Esta semana, num passeio pelas ruas do Centro, a mulher que será a mais poderosa da cidade em 2013 quase não conseguiu andar. Reconhecida por eleitores, Tânia acenava e esbanjava atenção e simpatia, qualidades notadas pela comunidade desde a sua chegada na cidade, em 1991.

"Nasci para ser feliz"

- O alemão é uma pessoa fechada, mas eu trato as pessoas com afetividade. Nasci para ser feliz. Acho que assim fui cativando a comunidade - diz a eleita, que já fala quase como uma alemã.

Natural de Novo Hamburgo, Tânia se formou em 1981. Dez anos depois, começou a trabalhar em Dois Irmãos. Foi a primeira colocada no concurso público da prefeitura para técnica em enfermagem, função que exerce até hoje.

Saúde foi a porta de entrada

Em 1994, fixou residência no município. No ano seguinte, filiou-se ao PMDB e começou sua carreira política. Num período de 12 anos, graças ao trabalho na área da Saúde, elegeu-se duas vezes vereadora e uma como suplente.

A futura prefeita é divorciada e mãe de dois filhos: Pablo, 24 anos, estudante de Biomedicina, e Hohana, 20 anos, aluna do curso de Enfermagem da Universidade Feevale.

Felicidade com os pés no chão

Embora o clima seja de festa, ela sabe a responsabilidade que herdará:

- Fizemos uma campanha franciscana, de casa em casa, de fábrica em fábrica levando as propostas, pedindo apoio. Agora, é começar a trabalhar.

Além de fortalecer a rede básica de saúde, Tânia pretende investir no hospital. Gestão financeira transparente e exemplar é outro objetivo dela e do futuro vice-prefeito, Jerri Adriani Meneghetti (vereador do PP).

O orçamento previsto de Dois Irmãos para o próximo ano é de R$ 60 milhões.

Uma trajetória de sucesso

Da filiação no PMDB, em 1995, à eleição para a prefeitura foram 17 anos. Tânia ingressou na política estimulada por amigos. Daí em diante, sua carreira decolou. Em 1996, elegeu-se vereadora. Em 2000, foi suplente. Voltou em 2008 para a primeira consagração, elegendo-se a vereadora mais votada. Em 2012, a escolha de seu nome para disputar a prefeitura foi uma aposta dos partidos da coligação (PMDB, PP e PTB) no trabalho desenvolvido pela técnica de enfermagem.

As urnas, como se sabe, mostraram que foi um acerto.

Estranha no ninho

Quando chegou na cidade na década de 90, Tânia lembra que havia poucas famílias negras. E, mesmo sendo uma estranha no ninho, afirma que ela e os filhos nunca sofreram preconceito.

- No começo, as pessoas me olhavam meio assim (faz um gesto com o rosto que sugere desconfiança...), mas nunca ao ponto de dizer alguma coisa ou deixar de me atender em algum lugar. Costumo dizer que entrei pela porta da frente - conta.

Nas horas de lazer, gosta de ouvir MPB, jogar vôlei e dançar. Vaidosa como toda a mulher, chega a passar oito horas no salão de beleza para cuidar dos cabelos. E a eleição ajudou a candidata a manter a forma. Durante a campanha, perdeu cinco quilos. Até agora, a única derrota comemorada numa vida coroada por grandes conquistas.

O que diz o povo

- Fiquei feliz que ela ganhou. É uma pessoa humilde, vamos ter uma mudança na prefeitura.
Catarina Meinhardt, 33 anos, balconista

- Conheço o trabalho dela na saúde. Foi uma coisa emocionante, ela merece. É simpática e muito comunicativa.
Marlisa Fleck, 50 anos, comerciante

- Quando cheguei aqui, tive problemas, e ela me deu força. Disse: faz que nem gato, cai em pé.
Maitê Krommeyer, 40 anos, técnica em enfermagem

- A gente sente orgulho, ela é uma pessoa maravilhosa, querida e batalhadora.
Jocélia Riboli, 50 anos, técnica em enfermagem

DIÁRIO GAÚCHO

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros