Chuva afeta 63 cidades e mais de 47 mil pessoas no RS - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Vítimas do mau tempo20/07/2015 | 19h34Atualizada em 20/07/2015 | 21h29

Chuva afeta 63 cidades e mais de 47 mil pessoas no RS

Situação de cidades da Região Metropolitana alarma Defesa Civil, e nível do Rio Uruguai segue aumentando em algumas regiões

Chuva afeta 63 cidades e mais de 47 mil pessoas no RS Diego Vara/Agencia RBS
O Rio Gravataí sobe quatro centímetros por hora em Cachoeirinha Foto: Diego Vara / Agencia RBS
Jéssica Rebeca Weber
Jéssica Rebeca Weber

jessica.weber@zerohora.com.br

Sobe para 63 o número de cidades atingidas pelas chuvas. Já são mais de 47 mil pessoas afetadas, de acordo com o último boletim da Defesa Civil Estadual, e há mais de 2,7 mil em abrigos. O governo do Estado decretou situação de emergência coletiva para 26 cidades.

Na Região Metropolitana, as chuvas que caem desde a madrugada de segunda-feira agravaram a situação, e a previsão de mais precipitação até terça-feira deixa a Defesa Civil em alerta.

AO VIVO: acompanhe os transtornos causados pela chuva no RS

— Muitas pessoas que tinham retornado para suas residências tiveram as casas atingidas novamente — afirma o tenente-coronel Alexandre Martins, chefe da Defesa Civil, citando cidades como Novo Hamburgo, São Leopoldo e Esteio, onde já choveu mais de 70 mm nesta segunda-feira.

Confira o nível dos rios:
 

A cheia do Rio Uruguai também aumenta em algumas cidades. Em Uruguaiana, enquanto na última sexta-feira o nível do rio estava em 7 metros, no final da tarde desta segunda-feira, chegava a 9,42 metros. Em Itaqui, o nível tem aumentado 2 centímetros por hora, chegando a 10,10 metros. Mais de 730 pessoas tiveram que deixar suas casas, e mais famílias seguem sendo removidas. Os bairros afetados são Ponte Seca, Centro, Cerrinho Dois Umbus, Várzea, Ênio Sayag, Estação e 24 de Maio. A Defesa Civil local estima que o ápice da cheia ocorra nesta terça-feira à noite.

Empresário largou o almoço para usar o próprio jet sky no resgate de flagelados
Ajude os atingidos pelas chuvas na Região Metropolitana

Já em cidades mais próximas à nascente do Rio Uruguai, o cenário é um pouco melhor. Em São Borja, o rio, que tinha 12,9 metros na tarde desta segunda-feira, baixava nove centímetros a cada três horas, segundo a defesa civil local. Em Porto Mauá, o Rio Uruguai continuava com sete metros acima do nível, seguindo estável desde sábado pela manhã. No momento, não há previsão de aumento do nível.

Em medição realizada perto do bairro Parque dos Anjos, em Gravataí, o nível do Rio Gravataí chegava a 5,80 metros na tarde desta segunda, mais de três metros a mais da média, 2,6 metros, e subia mais. Arroios que cortam a cidade também estão sendo monitorados. Os bairros mais atingidos são Caça e Pesca, Jardim das Palmeiras, Itatiaia, Vila Rica, Padré Réus, Jardim do Cedro.

Família que reuniu doações para vítimas da enchente é atingida pela cheia
Moradores do limite de Porto Alegre com Cachoeirinha afirmam nunca ter visto enchente parecida: "Não para de subir"

Em Cachoeirinha, o Gravataí já chegou a 6,31 metros, subindo cerca de quatro centímetros por hora, segundo a Defesa Civil. Os bairros atingidos são Olaria, Meu Rincão (afetado pelo transbordamento do Arroio Sapucaia) e algumas moradias no bairro Parque da Matriz. Há cerca de 130 pessoas desabrigadas.

Em Montenegro, o Rio Caí estava 4,4 metros acima do nível normal e subia três centímetros por hora, no limite para transbordar. Os bombeiros de São Sebastião do Caí ainda não emitiram alerta para a cheia, mas removeriam sete famílias que moram ao lado do Caí. O nível pela manhã era de 8,20 metros e, à tarde, chegou a 9,8 metros. Cinco famílias estão desabrigadas desde a última semana.

Com mais de 6 mil atingidos pela chuva, Alvorada prepara decreto de emergência
Rio Vacacaí-Mirim transborda e desvio é levado pela água na Rua Angelin Bortoluzzi em Camobi

*Zero Hora

ZERO HORA

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros