Cacalo: "Brocador não é o nome dos sonhos, mas será útil" - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

"Paixão tricolor13/02/2018 | 07h00Atualizada em 13/02/2018 | 07h00

Cacalo: "Brocador não é o nome dos sonhos, mas será útil"

Ele tem a valentia própria de centroavantes e deixou a sua marca de goleador por onde passou

Cacalo: "Brocador não é o nome dos sonhos, mas será útil" Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação
Hernane estava no Bahia Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia/Divulgação
Cacalo Silveira Martins
Cacalo Silveira Martins

cacalo@diariogaucho.com.br

Está praticamente acertada a vinda do centro avante Hernane Brocador para o Grêmio. De plano, tenho certeza de que vão dizer que o Grêmio está trazendo outro "aipim".  Este tipo de afirmativa, com todo o respeito de quem a faz, parte de quem não entende nada de futebol, não tem assistido aos jogos do Bahia, onde ele tem jogado, ou possui segundas intenções.

Hernane Brocador é um atleta que joga preferencialmente centralizado, mas jamais pode ser definido como um atacante que joga fincado. Sua movimentação é intensa, quase sempre procurando a área adversaria e arrematando de todos os setores onde puxa contra-ataque, pois tem boa velocidade. Não é o centroavante dos sonhos mas, com certeza, se confirmar sua vinda, será muito útil, ao esquema do técnico Renato. Tem valentia própria de centroavantes, chuta bastante ao gol adversário e, nos clubes grandes por onde passou, deixou a sua marca de goleador.

Infelizmente, não estará apto para a Recopa, pois recém está chegando. Por outro lado, para esta estreia na quarta-feira, o time não contará com Ramiro, titularíssimo, permanecendo a dúvida sobre a posição em que jogará Leo Moura, que também é titular. Mas a grande questão ainda diz respeito a quem será escalado no comando do ataque.

Renato tem feito treinos fechados, visando observar a melhor e mais adequada solução. Há neste jogo contra o Independiente dois fatores que podem parecer contraditórios. Um jogo fora contra um adversário forte talvez requeira uma certa cautela defensiva. Mas o time também não pode oferecer o campo ao adversário. Teremos de dispor de contra-ataques, de jogadas de velocidade, tal qual foi contra o Lanús.

Precisamos voltar vivos

A única ressalva que faço é o curto espaço de tempo de preparação. Mas é o ônus do clube grande. E, ademais, basta trazermos um resultado razoável de Buenos Aires, voltarmos vivos, que a decisão será na Arena lotada, com o povo tricolor bastante motivado.

 

Vídeos recomendados para você

 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros