Idosa fica mais de 24 horas sem água, em Sapucaia do Sul - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Seu Problema é Nosso13/09/2018 | 11h29Atualizada em 13/09/2018 | 11h29

Idosa fica mais de 24 horas sem água, em Sapucaia do Sul

 Ecilda Osório do Amaral, 72 anos, acredita que o corte ocorreu devido a uma obra de duplicação da RS-118, perto de sua residência

Idosa fica mais de 24 horas sem água, em Sapucaia do Sul Leitor DG / Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Foto: Leitor DG / Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Desde as 7h de terça- feira até por volta das 16h de ontem, a dona de casa Ecilda Osório do Amaral, 72 anos, moradora do Km 5 da RS-118, em Sapucaia do Sul, ficou sem água. A idosa acredita que o corte ocorreu devido a uma obra de duplicação da via, perto de sua residência. Ecilda conta que procurou a ouvidoria da Corsan e a prefeitura do município. 

 Leia mais
Em Alvorada, lixo não é recolhido desde sábado
Idoso aguarda cirurgia de hérnia de disco há quatro anos, em Porto Alegre
Menino de Canoas precisa de ajuda para realizar cirurgia na Tailândia

— Eu já falei com muita gente, mas ninguém diz que tem responsabilidade sobre a falta de água. É um empurra- empurra — declarou, no fim da manhã de ontem. 

Além da administração pública da sua cidade e a empresa de abastecimento, Ecilda procurou os funcionários que estavam trabalhando na duplicação. Mas se decepcionou. 

— Eles me falaram que só irão realizar a entrega normal de água quando a obra terminar, mas não souberam me dizer quando isso iria acontecer. Imagina, quanto tempo eu vou ficar sem água em casa? — questionou a idosa, aflita. 

Desafios 

Para lidar com a falta de água, Ecilda e o filho tiveram de comprar água mineral para beber e cozinhar. A limpeza da casa e outras tarefas, como lavar roupa e louça, foram ignoradas. Segundo a idosa, a pia ficou cheia de pratos, na cozinha. 

Ecilda conta que tem muitos problemas de saúde, como diverticulite (inflamação no intestino grosso) e asma (doença inflamatória crônica das vias aéreas), e lamentava o fato de ter de passar mais de 24 horas sem banho e sem aviso prévio do desabastecimento. 

Água voltou às torneiras ontem à tarde

A Corsan afirmou que o abastecimento foi normalizado na tarde de ontem, após a reportagem ter entrado em contato com a companhia – fato que foi confirmado pela moradora Ecilda. A empresa salientou que não avisou sobre o corte porque o trabalho de duplicação da via não é de responsabilidade dela. Quando a obra é da Corsan, as informações são publicadas no site e também no aplicativo da empresa. 

Quando é de grande abrangência, também são emitidos alertas via meios de comunicação. A companhia ressaltou que não tinha no seu sistema ocorrências sobre a falta de água no endereço de Ecilda e, por isso, solicita que os moradores façam suas reclamações pelo telefone 0800- 6466444. A ligação é gratuita, inclusive de celulares, e funciona 24 horas por dia. 

Já a Secretaria de Transportes do Estado, que responde a respeito de demandas da RS-118, contatada diversas vezes ontem à tarde, não emitiu comunicado oficial sobre o caso ou respondeu às perguntas da reportagem até o fechamento desta edição. 

 Leia outras notícias da seção Seu Problema é Nosso  


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros