Seis a oito motos são furtadas ou roubadas por dia em Porto Alegre - Diário Gaúcho

Versão mobile

 

Crimes na Capital08/11/2018 | 21h55Atualizada em 08/11/2018 | 21h58

Seis a oito motos são furtadas ou roubadas por dia em Porto Alegre

Estimativa da Polícia Civil e do Sindimoto  serve de alerta para motociclistas para que não comprem peças clandestinas. 

Seis a oito motos são furtadas ou roubadas por dia em Porto Alegre Omar Freitas/Agencia RBS
A cada 24 horas, em média, 31 veículos são levados por ladrões na Capital e, destes, em torno de 20% são motocicletas Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

Entre seis e oito motocicletas são furtadas ou roubadas por dia em Porto Alegre. Essa é a estimativa da Delegacia de Repressão ao Roubo de Veículos (DRV) e do Sindicato dos Motociclistas Profissionais do Rio Grande do Sul (Sindimoto). A cada 24 horas, em média, 31 veículos são levados por ladrões na Capital e, destes, em torno de 20% são motocicletas. 

Leia mais
O raio X de 24 horas de roubos de veículos em Porto Alegre
As histórias de vítimas de roubos de veículos em Porto Alegre
Roubos de veículos aumentam 2,9% na Capital

As principais vítimas deste tipo de crime são os motoboys, categoria profissional que tem nesse tipo de veículo o principal instrumento de trabalho. Por conta disso, o Sindimoto e o Coletivo Motoboys 398, que agrega entregadores do bairro Lomba do Pinheiro, na zona leste da Capital, lançaram campanha: “Peças de barbada? Pode ser fruto de roubo”. 

O objetivo, de acordo com a vice-presidente do sindicato, Luciane Gonsalves, é conscientizar a categoria e motociclistas não profissionais sobre as consequências da compra de acessórios de procedência desconhecida. 

– Muitos furtos e roubos de motos são destinados aos ferros-velhos, que revendem as peças por preços bem mais baixos. Quem compra estimula a ação dos ladrões – explica. 

Desmanches 

O titular da DRV, delegado Adriano Nonnenmacher, concorda. Segundo ele, os desmanches estão entre os principais destinos dos veículos levados por criminosos, principalmente quando trata-se de motocicletas. 

– No ano passado, realizamos ações para coibir o comércio clandestino em desmanches, ferros-velhos e autopeças. Normalmente, as motos são roubadas para isso ou para a prática de assaltos a pedestres e ao comércio, com uso de uma placa falsa – explica. 

Recentemente, de acordo com Nonnenmacher, a polícia descobriu que, além de furtos e roubos, está sendo praticado outro tipo de crime, uma fraude. 

– É um golpe em seguradoras. O proprietário faz seguro e registra um falso roubo para receber a apólice – explica do delegado. 

Os bairros 

Por grupos de WhatsApp, motoboys comunicam aos colegas e ao Sindimoto os casos de roubo e furto. Com base nessas informações, o sindicato estima que os bairros Petrópolis, Partenon, Bom Jesus, Rubem Berta e Lomba do Pinheiro são os que têm a maior incidência. 

 

Além do prejuízo financeiro, o trauma 

As motos levadas em assaltos, além do prejuízo financeiro, deixam traumas nos profissionais que trabalham sobre duas rodas. Um motoboy de 32 anos conta a experiência de, com uma arma apontada para a cabeça, ter sido obrigado a entregar a moto, neste ano. 

— Tinha ido fazer a entrega no Petrópolis. Tive de esperar na rua enquanto o porteiro fazia contato com o cliente. Uma moto com dois passou por mim, foi até a esquina e voltou. O que estava na carona então me apontou a arma e gritou: “perdeu, perdeu, entrega a moto” —relembra.

Drama semelhante foi vivido duas vezes por Paulo Cesar Lopes, 50 anos, metade deles trabalhando como motoboy. Ele foi assaltado duas vezes – em 2002 e em 2010 – mas conta que trauma é permanente.  

— O seguro é muito caro, não consigo pagar – conta. 

Conforme a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), há cerca de 26 milhões de motocicletas rodando pelo Brasil. Deste total, segundo o Sindicato das Seguradoras do Rio Grande do Sul, só 2% (cerca de 520 mil motos) rodam com algum tipo de seguro em todo o país. 

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros