Festa de Natal no Belém Novo reúne 300 crianças, em Porto Alegre - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Solidariedade17/12/2018 | 07h00Atualizada em 17/12/2018 | 07h00

Festa de Natal no Belém Novo reúne 300 crianças, em Porto Alegre

Festa realizada anualmente por moradora do extremo sul da Capital conta com distribuição de presentes, cachorros-quentes e refrigerantes, além de brinquedos para criançada

Festa de Natal no Belém Novo reúne 300 crianças, em Porto Alegre Félix Zucco / Agência RBS/Agência RBS
Evento é organizado por Vera Lucia Nunes Ranheiri, moradora do Belém Novo Foto: Félix Zucco / Agência RBS / Agência RBS

Ainda não era 25 de dezembro, mas o batom vermelho — combinando com o gorro e a blusa de mesma cor — usados por Vera Lucia Nunes Ranheiri, 53 anos, deram o tom natalino a festa realizada por ela no bairro Belém Novo, extremo sul da Capital. Enquanto carregava uma caixa com brinquedos disputados pelos pequenos, fazia sucesso com o visual incrementado pelos tons avermelhados, que também enrubescem as suas bochechas sempre que recebe elogios pela iniciativa. 

Leia mais
Coral inclusivo de Viamão precisa de espaço maior para ensaios
Educandário São João Batista faz campanha para não fechar as portas
Conheça o cabeleireiro especialista em fazer penteados de prenda

A cena se repete há mais de duas décadas. Na tarde deste domingo (16), nem a temperatura acima dos 30°C afastou os meninos e meninas que foram até a sede da Sociedade Esportiva Xavante. No olhar das cerca de 300 pequenos presentes na 23º edição do Natal da Tia Vera, como o evento é conhecido, o sentimento era de realização. 

Além da distribuição de brinquedos novos e usados, estavam à disposição brincadeiras como cama elástica, escorregador inflável e piscina de bolinhas. Em cada rostinho, o suor da correria não incomodava em nada a garotada. Caso batesse a sede ou a fome, lá estavam mais de 250 garrafas de refrigerante e 1.500 cachorros-quentes para não deixar a festar acabar. Para os mais aficionados por doce, ainda havia algodão doce e bolo.

Diversão

Mariane trouxe a filha, Rafaela, para o evento Foto: Félix Zucco / Agência RBS

A balconista Mariane Duarte, 33 anos, levou a filhota Rafaela, seis anos, para o evento pelo segundo ano consecutivo. No entusiasmo diante de tantas atrações, a menina citou motivos para estar em mais um Natal da Tia Vera.

— Eu me divirto muito. Tem muitos brinquedos e também muitos amiguinhos que eu encontro aqui — conta, ansiosa para entrar na fila da piscina de bolinhas.

A animação era parecida com a de Carlos Eduardo, 10 anos. Acompanhado da mãe, a assistente administrativa desempregada Franciele Michele Soares, 30 anos, e do irmão Gustavo, um ano e quatro meses, ele apontava para um brinquedo e outro, tentando definir em qual iria primeiro:

— Já desci ali no escorregador. Quero ir na piscina de bolinhas, depois vou na cama elástica. Estou me divertindo muito.

Franciele acredita no evento como uma oportunidade de dar aqueles que tem menos um motivo para sorrir.

— Para muitas crianças aqui, vai ser o único presente que eles irão ganhar no ano. Por isso, é importante que estas ações continuem sendo sempre realizadas — acredita a mãe de Carlos e Gustavo.

Carlos (E), veio acompanhada do irmão, Gustavo, e da mãe, FrancieleFoto: Félix Zucco / Agência RBS

Festa é uma maneira de cumprir promessa

O evento nasceu de uma promessa feita por Vera aos 28 anos. Depois de sofrer uma gravidez ectópica — quando o óvulo fertiliza fora do útero — a atendente de telemarketing, que está afastada do trabalho por problemas de saúde, foi informada de que não conseguiria mais engravidar. Resolveu fazer uma promessa para que o sonho de ter um filho biológico se realizasse. Assim, em setembro de 1996, poucos dias depois de completar 31 anos, ela deu à luz a Douglas Ranheiri, hoje com 22 anos.

— A festa é para ele, para comemorar o nascimento dele e ajudar essas crianças que vem aqui todo ano — conta Vera. 

Hoje, Douglas também ajuda na organização. Junto com Vera e outros voluntários, distribui cachorros-quentes, copos de refrigerante, e claro, os brinquedos. 

— Fico muito feliz de poder ajudar aqui. Quando eu era guri, participava também, fui crescendo e passei a fazer parte da organização. É sempre um momento especial, é aquele dia do ano em que a gente sente que está fazendo algo pelo próximo — conta aquele que foi o motivo do Natal da Tia Vera existir. 

Vera e o filho, Douglas, razão para a criação da festaFoto: Félix Zucco / Agência RBS

Organização

Para fazer a festa acontecer, Vera conta com a doação dos brinquedos, alimentos e de dinheiro. Tudo é aplicado na preparação da festa. Durante o ano, ela realiza rifas e corre atrás dos padrinhos, que costumam vir de todos os cantos da cidade. Quando sabe quantas crianças poderão ser atendidas, Vera vai de casa em casa convidando famílias e distribuindo "ingressos" para os pequenos. No dia da festa, basta apresentar o papel para ter acesso.

— Gostaria de abrir ao público, mas ainda não temos capacidade. Então, distribuo as entradas para as famílias carentes aqui do entorno — explica ela.

Quem quiser ajudar ou saber mais sobre o Natal da Tia Vera pode falar com a criadora do evento nos telefones (51) 3246-1005 e (51) 99857-5173.

Leia outras notícias do Diário Gaúcho


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros