Cris Silva dá dicas para os pais conversarem sobre separação com seus filhos - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Lá em Casa18/01/2019 | 08h00Atualizada em 18/01/2019 | 08h00

Cris Silva dá dicas para os pais conversarem sobre separação com seus filhos

Colunista escreve sobre maternidade e família nas sextas-feiras

Cris Silva dá dicas para os pais conversarem sobre separação com seus filhos Divulgação/Stock Photos
Pais têm obrigação de conversar com os pequenos Foto: Divulgação / Stock Photos

“A minha vida tá sem cor”. Esta frase foi dita por uma menina de cinco anos para a professora pouco antes de sair de férias. Durante uma atividade de pintura, a professora notou que ela estava utilizando apenas o cinza e o preto e questionou: por que ela não coloria o desenho? Fiquei sabendo desta história porque sou amiga da professora e, entre vários temas que posso falar nesta coluna, achei que deveria dividir este com vocês.

Assunto delicado

Pensem, por um minuto, o que poderia deixar a vida de alguém sem cor. E se fosse uma criança? Eu também pensei e, na conversa com a amiga professora, matei a charada: separação dos pais!

Leia outras colunas da Cris Silva

É um assunto delicado, que merece muita atenção. Se separar é do jogo. Ninguém se casa pensando em se separar nem imagina que, um dia, todo aquele sentimento possa se transformar em algo menor. Mas acontece. O melhor é que cada um siga a sua vida sem esquecer de sentimentos básicos, como respeito, compreensão e carinho. 

Mas nem sempre é assim. Muitos casamentos terminam aos trancos e barrancos. E os filhos no meio de um cabo de guerra que acaba arrebentando no lado mais fraco: o das crianças.

Os pais dessa menina que não via sentido em colorir o desenho tinham acabado de se separar. A diretora e a professora foram avisadas e, embora a mãe e o pai dissessem que a menina tinha aceitado numa boa, resolveram observar. Na primeira oportunidade, ela falou. Ou seja, não estava tudo tão bem.

Opinião de especialista

Lá em casa, o tema vem à tona seguidamente, porque meu marido já teve outro casamento, que gerou dois filhos.  Se divorciaram e encontraram a melhor maneira de comunicar aos guris, que, na época, tinham dois e sete anos. 

O processo de separação não é fácil. Causa tristeza em todos, mas precisa ser encarado. Nada de camuflar, esconder, inventar historinhas ou fingir que está tudo bem. As crianças são espertas e captam sentimentos.

A dica da psicóloga Patrícia Santos, terapeuta de casal e família, é não deixar nada subentendido.

– O maior erro dos pais é achar que as crianças ou adolescentes não têm capacidade para entender as coisas. Não falar significa que nada está acontecendo, só que elas percebem – conta Patrícia.

Realidade

Ela salienta que, quando os adultos não explicam a situação, as crianças fantasiam um monte de coisas:

– Elas acham que são as culpadas e acabam pensando “o papai ou mamãe foi embora porque não gosta de mim”. É papel dos adultos explicar o que está acontecendo.

Enfim, para quem está passando por isto, desejo muita tranquilidade e sabedoria. Se tiverem alguma dúvida, podem mandar para mim que trago as respostas da psicóloga na próxima coluna. Até lá!

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros