Podcast: viaturas dos Correios na mira de quadrilhas organizadas - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Aumento de casos em 201818/04/2019 | 21h26Atualizada em 18/04/2019 | 21h39

Podcast: viaturas dos Correios na mira de quadrilhas organizadas

Após redução de ataques a agências, PF intensifica ações para combater roubos a carteiros motorizados

Podcast: viaturas dos Correios na mira de quadrilhas organizadas Omar Freitas/Agencia RBS
Carteiro ouvido pela reportagem diz que já foi assaltado 12 vezes Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

O fato de grupos criminosos terem se especializado em ataques a carteiros motorizados no Rio Grande do Sul, nos últimos anos, fez com que essas ocorrências aumentassem desde 2016.

Leia mais
Em 10 anos, RS tem 1,9 mil ataques a bancos registrados
Roubo de encomendas e acesso a dados dos remetentes: carros dos Correios são alvo de quadrilhas no RS

No ano passado, por exemplo, foram 71 casos – o que corresponde a um aumento de 39,22% em relação ao 2017, quando ocorreram 51 roubos.

O pico deste tipo de crime foi entre setembro e dezembro de 2018, quando foram registrados quatro casos em apenas um dia na Região Metropolitana. A área com maior índice de roubos é a zona norte da Capital.

Neste podcast, o repórter Cid Martins apresenta relatos de vítimas, da polícia e de representantes dos carteiros.

Um dos profissionais assaltados, por exemplo, foi alvo dos bandidos por 12 vezes e ficou um ano em tratamento após depressão e pânico. Outro carteiro foi atacado cinco vezes e hoje, após tratamento psiquiátrico por quase dois anos, tem dificuldade para sair de casa e só atua dentro de agências.

A Polícia Federal, que investiga e faz um mapeamento dos casos, está usando a mesma estratégia que diminuiu os ataques a agências dos Correios para combater o roubo a carteiros motorizados, além de trabalhar de forma integrada com Polícia Civil e Brigada Militar.

O sindicato da categoria está cobrando mais segurança e a Empresa de Correios e Telégrafos informa que somente no ano passado investiu mais de R$ 4 milhões para auxiliar na proteção aos trabalhadores. A PF ainda destacou que a principal quadrilha que atuava neste tipo de crime no Estado foi presa e agora acredita que os roubos possam começar a diminuir.


 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros