Conheça o Chimarródromo, espaço para apreciar a erva-mate na Expointer - Diário Gaúcho

Vers?o mobile

 
 

Há 17 anos24/08/2019 | 14h03Atualizada em 24/08/2019 | 14h03

Conheça o Chimarródromo, espaço para apreciar a erva-mate na Expointer

Casa de costaneira exibe 36 cuias com os mais variados estilos

Conheça o Chimarródromo, espaço para apreciar a erva-mate na Expointer Tiago Boff / Agência RBS/Agência RBS
Chimarrodromo atrai olhares curiosos dos visitantes da feira Foto: Tiago Boff / Agência RBS / Agência RBS

Logo após a entrada do Parque de Exposições Assis, em Esteio, um moedor de erva exposto pelo tradicional Chimarródromo é atração para quem chega à Expointer neste sábado (24). A casa de costaneira ainda exibe 36 cuias com os mais variados estilos na montagem da erva: com desenho de ferradura, bola de futebol e até cuia coberta de açúcar.

Leia mais
Reforço na segurança, comida e até gel massageador: veja o movimento no entorno da Expointer 2019 
Como chegar e quanto custa o ingresso da Expointer? O que você precisa saber para ir à feira
Expointer tem atrações para diversos gostos e bolsos

Há 17 anos na Expointer, o chimarródromo é promovido pela ONG Escola do Chimarrão, de Venâncio Aires. Em 2018, 70 mil tomadores de chimarrão visitaram o espaço. A erva e a água são distribuídas gratuitamente. 

Chef em uma taberna de Brasília, Fernando Ferreira, 58 anos, conta que aprendeu a fazer o mate na Expointer. O aprendizado, segundo ele, deve alçar voo junto com ele rumo à capital federal: 

— Aprendi a fazer o chimarrão de verdade. Vou levar pra lá! — promete. 

Segundo o diretor da Escola do Chimarrão, Pedro José Schwengber, o chimarrão é democrático. Em meio a ervas de inúmeros tipos, a combinação do ingrediente fica por conta do vivente.

— Pode colocar açúcar, chá, o que quiser. E às vezes até entope. Na minha vida inteira já entupi três vezes — conta Schwengber, com uma gargalhada que ecoa no ambiente.


 
 
 
 
 
 

Mais sobre

 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros