Luciano Périco: qual o limite do Inter de Eduardo Coudet? - Diário Gaúcho

Versão mobile

 
 

Dúvida 15/09/2020 | 09h00Atualizada em 15/09/2020 | 09h00

Luciano Périco: qual o limite do Inter de Eduardo Coudet?

Derrota para o lanterna Goiás assustou o torcedor colorado

Luciano Périco: qual o limite do Inter de Eduardo Coudet? Ricardo Duarte / Divulgação/Divulgação
Técnico argentino precisa encontrar uma parceria para Thiago Galhardo no ataque Foto: Ricardo Duarte / Divulgação / Divulgação

Começo pelo lado bom. O Inter é líder do Brasileirão depois de 10 rodadas. É um dado irrefutável. A atuação contra o Santos, no Beira-Rio, foi o desempenho ideal. Amassou o Peixe. A vitória sobre o Atlético-MG, mesmo sofrendo grande pressão, foi uma amostragem de que a equipe conseguiu segurar um resultado contra um adversário que tomou conta do jogo. No duelo com o Botafogo no Engenhão, vitória por 2 a 0, com uma atuação segura. No empate com o Palmeiras em São Paulo, até poderia ter conseguido um resultado melhor do que o 1 a 1. E tranquilidade na vitória sobre o Ceará no Beira-Rio. 

Agora vamos analisar os jogos em que as coisas não ocorreram bem. Perder para o Goiás, o último colocado da competição no momento e com um jogador a menos desde o início da partida, não é resultado concebível para uma equipe que quer ser campeã. O mais assustador foi a falta de alternativas do time de Eduardo Coudet, recorrendo ao balão para dentro da área adversária. Perdeu para o Fluminense e venceu o Coritiba jogando pouco. Contra o Atlético-GO, só encontrou o caminho da vitória no segundo tempo, quando alguns titulares entraram em campo. Deixou dois pontos pelo caminho contra o Bahia, quando sofreu um gol nos acréscimos. As coisas também não foram bem nos Gre-Nais, especialmente na decisão do segundo turno do Gauchão, quando o Inter foi completamente dominado pelo Grêmio. 

Leia mais
As três dúvidas no time do Inter para o jogo contra o América de Cali
Por que Guerrero e Rodrigo Dourado estão inscritos na Libertadores
Como a venda de Marcelo Grohe pode auxiliar na investida dos árabes por Edenilson

É preciso fazer um balanço do que precisa ser corrigido por Eduardo Coudet no time do Inter. No meio campo, Patrick vem tendo ótimo desempenho. Edenilson é o motor. Boschilia tem oscilado. Musto é homem de confiança de Coudet. Uma insistência que não se explica. Johnny precisa ter sequência. Além disso, é preciso encontrar uma solução na lateral-esquerda. A disputa entre Moisés e Uendel está em aberto. 

O principal desafio do treinador argentino é encontrar um parceiro para Thiago Galhardo. A equipe tem sido dependente dos gols do meia. A amostragem de Abel Hernández contra o Goiás não foi boa. Claro que é preciso dar todos os descontos. Ninguém se salvou em Goiânia. O uruguaio recém chegou ao Beira-Rio. Tem que ver o que o argentino Leandro Fernández pode fazer. A história mostra que D’Alessandro rende melhor como articulador. A grande aposta é Peglow e Yuri Alberto. O azar do Inter é que os guris estão sendo atrapalhados por lesões.

 
 
 
 
 
 
 
Diário Gaúcho
Busca
clicRBS
Nova busca - outros